Navegar

14 de February de 2020, 18:07h

Oficinas de discussão de problemas encerram workshop

Estudantes de pós-graduação e de graduação passaram a tarde desta sexta-feira (14) quebrando a cabeça para encontrar soluções para problemas de empresas participantes. A Stone.Co, Hurb e McKinsey & Company apresentaram dificuldades reais de suas operações no cotidiano e abriram suas bases de dados para os participantes do Workshop Matemática e Indústria buscarem resolver. As oficinas encerraram o evento de dois dias no IMPA. 

“Vamos mostrar como a Stone funciona, quais são os nossos desafios e o pessoal vai debater sobre quais são as causas raízes e quais são as saídas possíveis”, explicou Guilherme Okamoto, da Stone.Co, antes da oficina. “O objetivo principal não é só a solução, mas entender como novas ideias, que estão dentro da academia, podem nos trazer uma nova visão para a nosso negócio”, acrescentou.  

Leia também: Setores de Finanças e Mercado buscam talentos matemáticos
Viana: ‘Matemática tem enorme potencial a ser explorado’
Petróleo e Energia são destaque em workshop no IMPA

As oficinas aconteceram em três auditórios separados do IMPA, cada um com uma empresa, e contou com a participação de mais de 80 alunos. “Qualquer lugar que o estimule a ter novas ideias e pensar fora da caixa é um bom lugar para se estar”, comentou Samantha Nogueira, que participou da oficina do Hurb. A jovem, que cursa engenharia elétrica na Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), conta que aplicou ferramentas aprendidas nas palestras do workshop para resolver os problemas.

Ao encerrar a oficina do Hurb, o pesquisador do IMPA Luciano Irineu foi à frente esboçar sua própria opinião sobre o problema. “Depois de uma reunião como essa, não podia deixar este quadro incólume”, brincou.

Estudante de economia da UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro), Kássia Miranda se surpreendeu com a importância de algumas informações para o funcionamento das empresas. “Às vezes, não damos muita relevância a um dado que é essencial para uma tomada de decisão”, conta. Kássia já frequenta o IMPA para o curso de Introdução à Economia Matemática do professor Luciano Irineu e conta que “não construiu nenhum modelo”, mas pensou em novos dados que podem ser eficazes na análise de perfil dos clientes.

Leia também: John Von Neumann, o mais inteligente da América
‘Se falo que sou matemática, dizem: ‘Não parece’’