Navegar

9 de July de 2018, 14:35h

Matemáticas agora concorrem ao Prêmio For Women in Science

A notícia é auspiciosa: o L’Oréal-Unesco for Women in Science, prêmio que desde 1998 reconhece e apoia, anualmente, cinco notáveis pesquisadoras ao redor do mundo por suas contribuições para o avanço da ciência, pela primeira vez, será destinado também a matemáticas e cientistas da computação. Até então, as contempladas eram, alternadamente, das áreas de Ciências da Vida e Ciências Físicas.

Leia também: Prêmio IMPA-SBM de Jornalismo reúne 72 trabalhos
Se Bernard Shaw ensinasse matemática, ela seria popular
A trajetória de beneficiários do Bolsa Família na OBMEP

Dez brasileiras já foram laureadas com o Women in Science, criado para distinguir e premiar os avanços científicos trazidos por pesquisadoras mulheres, que representam apenas 30% dos especialistas do meio.

Os nomes para a edição de 2019 do prêmio devem ser encaminhados até dia 13 de julho, próxima sexta-feira. Podem fazer as indicações diretores de universidades e instituições científicas, membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC), professores permanentes, titulares de pesquisa e antigas laureadas do prêmio.

Nesta edição, serão escolhidas pesquisadoras das áreas de Matemática, Ciências da Computação e Ciências Físicas. São elegíveis pesquisadoras com excelências científicas reconhecidas pela comunidade internacional e envolvidas de forma ativa nas pesquisas científicas. Confira, no site do prêmio, todas as informações sobre os critérios de seleção e demais dados contidos no regulamento.

Para cada uma das cinco regiões contempladas (África e Estados Árabes, Ásia-Pacífico, Europa e Américas Latina e do Norte) será selecionada uma candidata – o fator determinante é o lugar de trabalho, não a nacionalidade. Cada pesquisadora receberá uma bolsa no valor de 100 mil euros para dar continuidade aos seus projetos de pesquisa.

Gênero na Matemática será discutido no (WM)2, em 31 de julho, no Rio

Segundo a pesquisadora do IMPA, Carolina Araujo, é muito importante a matemática ter sido incluída em um programa que ela considera de grande relevância.

“Isso nos traz a possibilidade para celebrar e dar visibilidade ao trabalho das matemáticas brasileiras. Em nosso país há pesquisadoras fazendo matemática de alto nível. É uma oportunidade e um reconhecimento da importância da matemática para a ciência como um todo”, destaca Carolina.

Uma das laureadas do Programa “Para Mulheres na Ciência”, iniciativa da L’Oréal Brasil, em parceria com a UNESCO Brasil e com a Academia Brasileira de Ciências (ABC), criada em 2006 para apoiar cientistas promissoras no país, Carolina integra o comitê organizador do World Meeting for Women in Mathematics (WM)2, evento que será realizado no dia 31 de julho, no Riocentro, um dia antes do início do ICM 2018, International Congress of Mathematicians.

Durante o (WM)2 e no próprio ICM, o tema da sub-representação das mulheres na ciência, particularmente nas exatas, será discutido, com o intuito de identificar problemas, buscar saídas e coletar dados. O fenômeno se acentua na medida em que se avança na carreira.

Leia também: O ‘milagre’ do uso de algoritmos matemáticos sofisticados 
IMPA e IMS firmam parceria com foco em acervo fotográfico