Navegar

22 de December de 2017, 13:03h

Pesquisador do IMPA ganha bolsa do Serrapilheira

Karine Rodrigues

Fácil não foi. Instigante, com certeza. Afinal, durante três meses, os quase dois mil projetos inscritos na 1ª chamada pública do Instituto Serrapilheira foram analisados com base, principalmente, nos critérios de excelência e ousadia científica.  Após a avaliação, 65 pesquisadores foram selecionados para receber apoio financeiro. Dos 5 da área de matemática, quatro já participaram dos programas de pós-graduação do IMPA e um deles, Vinicius Ramos, o mais novo professor adjunto da instituição, contratado em março deste ano. 

Leia também: OBMEP inspira e capacita professores
Clarice Lispector e Leopoldo Nachbin, “os impossíveis”
Em visita ao IMPA, grupo pede prova da OBMEP em Libras

Estar na lista dos selecionados foi uma surpresa para Vinicius Ramos, que considerava baixa a possibilidade de ser escolhido por causa do grande número de inscritos. Diante do resultado, ele comemorou o apoio que vai receber para seu projeto na área de geometria simplética e disse que o recurso é especialmente importante por causa dos cortes no orçamento para Ciência.

“Conseguir esse financiamento é um grande incentivo para mim nesse período crítico para a pesquisa do país. Além disso, espero usar parte desse financiamento para ajudar pesquisadores que estejam envolvidos em projetos relacionados”, afirmou Vinicius, que fez doutorado na University of California Berkeley e pós-doutorado no IMPA. “Além de toda a infraestrutura do instituto, o grande número de visitantes e alunos é uma das grandes vantagens do IMPA.  Tenho podido conhecer muitos pesquisadores novos e isso tem aberto inúmeras possibilidades de colaboração”, enfatizou.

Diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana considerou que a matemática está muito bem representada na lista de aprovados e destacou a importância do instituto. “Auxílios à pesquisa como esse, que aposta em gente jovem com propostas ousadas, têm potencial para fazer uma enorme diferença em nosso cenário científico”, declarou.

Nesta chamada inaugural do Serrapilheira, primeiro instituto privado brasileiro de fomento à Ciência, criado em março deste ano por João e Branca Moreira Salles, participaram 1.955 de 331 instituições de quase todo o país (26 unidades federativas). 

Os 65 candidatos selecionados irão receber, durante o período de um ano, aportes de até R$ 100 mil. Depois de um ano, de 10 a 12 projetos, do total de 65 selecionados, vão continuar a ser apoiados financeiramente, com aportes de até R$ 1 milhão para três anos de pesquisa.

No texto de divulgação do resultado, o Serrapilheira revela que, diante da excelência do material apresentado, “foi extremamente difícil” chegar aos escolhidos. E dá uma boa notícia para quem se inscreveu nesta primeira seleção e ficou de fora: em decorrência da qualidade dos projetos e do fato de menos de 4% das propostas inscritas terem sido selecionadas, o instituto considera a possibilidade de uma nova avaliação, fora do contexto desta 1ª chamada e segundo critérios que ainda serão discutidos e informados.

A seleção foi realizada pelo Conselho Científico, formado por 12 cientistas filiados a instituições brasileiras e estrangeiras, em diálogo com a equipe executiva do Serrapilheira, presidida pelo geneticista francês Hugo Aguilaniu. Mais de 300 revisores, brasileiros e estrangeiros, ajudaram na avaliação.

Leia também: Lógica matemática para compreender as famílias
IMPA assina convênio com a Fundação Itaú Social
Professor de Matemática concorre a prêmio nacional

Confira a lista dos aprovados

Adenilton Silva (ciência da computação) – Universidade Federal Rural de Pernambuco

Adriana Alves (ciências da terra) – Universidade de São Paulo

Alexander Birbrair (ciências da vida) – Universidade Federal de Minas Gerais

Alexandre Cardoso (ciências da vida) – Universidade de São Paulo

Alexandre José Tuoto Silveira Mello (engenharia, física) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Alexandre Zuquete Guarato (engenharia) – Universidade Federal de Uberlândia

Ana Luchiari (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Anderson De Oliveira Lobo (química, engenharia) – Universidade Brasil

André Melro Murad (ciências da vida) – Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Andreia Macedo (engenharia, física) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Ayla Sant Ana da Silva (ciências da vida) – Instituto Nacional de Tecnologia

Bernardo Strassburg (ciências da terra, ciências da vida) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Bruss Lima (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Caio Oliveira (química) – Universidade Estadual de Campinas

Carlos Ganade (ciências da terra) – Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais

Carlos Hotta (ciências da vida) – Universidade de São Paulo

Cecília Salgado (matemática) – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Claudio Oliveira (ciências da vida, física) – Universidade Federal do Ceará

Daniel Martins-de-Souza (ciências da vida) – Universidade Estadual de Campinas

Daniel Youssef Bargieri (ciências da vida) – Universidade de São Paulo

Daniela Barretto Barbosa Trivella (química, ciências da computação, ciências da vida) – Centro Nacional de Pesquisa em Energia e

Materiais/LNBIO

David Lapola (ciências da terra, ciências da vida) – Universidade Estadual de Campinas

Denise Hissa (ciências da vida) – Universidade Federal do Ceará

Diego Andrés Laplagne (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Douglas Galante (ciências da terra, ciências da vida) – Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais/LNLS

Felipe Ricachenevsky (ciências da vida) – Universidade Federal de Santa Maria

Francisco Sant’Anna (ciência da computação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Gabriela Betella Cybis (matemática) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Giovannia Pereira (química) – Universidade Federal de Pernambuco

Guilherme Longo (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Guilherme Zepon (engenharia) – Universidade Federal de São Carlos

Heverton Pereira (engenharia) – Universidade Federal de Viçosa

Ian Trotter (ciência da computação) – Universidade Federal de Viçosa

Julia Cunha (ciências da vida) – Instituto Butantan

Karin Menendez-Delmestre (física) – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Katia Pinheiro (ciências da terra) – Observatório Nacional

Leandro Santos (ciências da vida) – Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais/CTBE

Luciana Rangel (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Marcelo Dal Bó (engenharia) -Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa

Catarina

Marco Antonio Zanata Alves (ciência da computação) – Universidade Federal do Paraná

Narcizo M. Souza Neto (física) – Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais/LNLS

Natan Silva Pereira (ciências da terra) – Universidade do Estado da Bahia

Omar Pandoli (química) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Paulo Roberto Nassar de Carvalho (ciências da vida) – Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da

Criança e do Adolescente Fernandes Figueira

Pedro Camargo (química, engenharia) – Universidade de São Paulo

Pedro Galante (ciência da computação, ciências da vida) – Hospital Sirio Libanes, Instituto de Ensino e Pesquisa

Pedro Meirelles (ciências da vida) – Universidade Federal da Bahia

Rafael Guido (química, ciências da vida) – Universidade de São Paulo

Raquel Giordani (química, ciências da vida) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Renata Rodriguez (química, engenharia, ciências da vida) – Universidade Federal de Alfenas

Renata Santos (ciências da terra) – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Rita de Cassia dos Anjos (física) – Universidade Federal do Paraná

Roberto Figueiredo (engenharia) – Universidade Federal de Minas Gerais

Rubens Monte Neto (engenharia, ciências da vida) – Instituto René Rachou

Sidney Gouveia (ciências da vida) – Universidade Federal de Sergipe

Suzana Alcantara (ciências da vida) – Universidade Federal de Santa Catarina

Tarciso Velho (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Thiago Cunha (ciências da vida) – Universidade de São Paulo

Thiago Guerreiro (física) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Thiago Vallin Spina (engenharia, ciência da computação) – Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais/LNLS

Tiago Pereira da Silva (matemática) – Universidade de São Paulo

Vilasia Martins (ciências da vida) – Universidade Federal do Rio Grande

Vinicius Ramos (matemática) – Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada

Virgínia Martins Carvalho (química, ciências da vida) – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Yuri Gomes Lima (matemática) – Universidade Federal do Ceará