Navegar

4 de julho de 2019, 20:34h

No IMPA, pesquisadores debatem mercado financeiro

Investimentos, métodos quantitativos, finanças corporativas e derivativos estão entre os assuntos em debate no XIX Encontro Brasileiro de Finanças, aberto na manhã desta quinta-feira (4) no IMPA.  

Promovido pela Sociedade Brasileira de Finanças (SBFin), com patrocínio da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o evento reúne importantes pesquisadores estrangeiros e nacionais, como o economista José Alexandre Scheinkman, mestre pelo IMPA e professor da Universidade de Columbia (Estados Unidos), e Sebastian Jaimungal, da Universidade de Toronto (Canadá).

Leia também: As probabilidades de uma britânica se tornar carioca
Apps de navegação começaram como brincadeira
Ivan Passoni defende tese na área de superfícies mínimas

Apesar da presença de profissionais do mercado financeiro, o encontro é predominantemente acadêmico, com foco maior em artigos aplicados, observou Rodrigo de Losso, presidente da SBFin. Segundo ele, o ponto alto são as discussões com grandes pesquisadores da área. 

“Embora, com a internet, já tenhamos, hoje, como saber o que está sendo produzido lá fora, aqui há uma aproximação entre as pessoas.” 

Coordenador do Laboratório de Análise e Modelagem Computacional em Ciências Aplicadas (Lamca) do IMPA, Jorge Zubelli participou da abertura. Ele destacou a relevância da Matemática nos mercados financeiros.

“Cada vez mais o uso de técnicas sofisticadas e de algoritmos computacionais é fundamental para profissionais do mercado. O IMPA vem desenvolvendo pesquisa de ponta e formando novas gerações preparadas para enfrentar os desafios em Finanças Quantitativas e Gestão de Risco.”

A programação, que segue até sábado (6), inclui palestras sobre bitcoin, sustentabilidade financeira da Previdência Social, especulação de ativos financeiros e mudanças comportamentais. De Losso cita como exemplo uma situação comum e contraditória observada no mercado financeiro. 

“O investidor tem a tendência de comprar um ativo e, depois que o ativo dá lucro, o vende. Se o ativo cai de preço, ele segura, ao invés de vender rapidamente, porque imagina que o preço vai subir novamente. Por outro lado, observamos que, no mercado, os ativos que têm um retorno negativo continuam a ter um retorno negativo. Então, se o indivíduo se comporta de um jeito contraditório ao mercado, ele perde muito dinheiro. Não sabemos o porquê disso. Estamos tentando descobrir as razões.”

Confira aqui a programação completa do encontro.

Leia também: OBMEP na Escola é mostrado em reportagem na GloboNews
SBMAC premia Campolina por melhor Dissertação de Mestrado