Navegar

2 de agosto de 2019, 15:50h

Luna Lomonaco faz palestra plenária no Colóquio

Primeira mulher a conquistar o Prêmio SBM de Matemática, a italiana Luciana Luna Lomonaco, especialista em Sistemas Dinâmicos, foi convidada a proferir palestra plenária nesta sexta-feira (2), no 32º Colóquio Brasileiro de Matemática.

Na apresentação, a professora do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade de São Paulo (USP) abordou o tema “The Mandelbrot set and its satellite copies”. A partir de 2020, ela passará a integrar o corpo científico do IMPA.

O Conjunto de Mandelbrot é um dos fractais mais conhecidos. Luna estuda suas cópias dentro e fora do objeto geométrico. Se dividirmos um fractal, cada parte é semelhante ao todo. Apesar de existirem aplicações da geometria fractal em diversas áreas, como Economia e Medicina, a pesquisadora, no momento, está interessada sobre questões circunscritas ao universo da Matemática Pura.

Leia também: Matemática pode ajudar no controle de doenças infecciosas
No Colóquio, mesa-redonda celebra os 40 anos da OBM
Luna Lomonaco é a primeira mulher a conquistar Prêmio SBM

“O progresso não pode investir só em resultados a curto prazo, só focar em aplicações imediatas. Somos maiores do que isso. Há muitas coisas na Matemática que não sabíamos que seríamos capazes de aplicar em algum momento. A criação dos computadores é um exemplo. Ter uma agenda sempre muita fechada torna-se contraproducente a longo prazo”, disse.

Luna ganhou o prêmio SBM 2019 por “On Quasi-Conformal (In-)Compatibility of Satellite Copies of the Mandelbrot Set: I”, trabalho publicado, em 2017, na  Inventiones Mathematicae 210. 

Concedido a cada dois anos pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) durante o Colóquio, o prêmio foi criado para distinguir o melhor artigo original de pesquisa em Matemática publicado recentemente por um jovem pesquisador residente no Brasil. As indicações são feitas por qualquer pesquisador ou docente de instituição nacional de ensino e pesquisa. Além do convite para a palestra, Luna recebeu diploma e R$ 20 mil.

Questionada sobre o que a motivou a iniciar os estudos sobre o tema, a pesquisadora disse que “simplesmente aconteceu”. “Você não escolhe o problema, o problema te escolhe. Tem algumas coisas que travam na sua cabeça e você segue pensando, assim como tem coisas que você gostaria de pensar e não consegue.”

O artigo de Luna foi selecionado pela comissão formada pelos professores Noga Alon (Tel Aviv University e Princeton University), Vaughan Jones (Vanderbilt University), Richard Schoen (University of California-Irvine), Stanislav Smirnov (Université de Genève) e Paolo Piccione (USP), presidente da SBM. Foram considerados os critérios de originalidade, relevância, profundidade e potencial de impacto no desenvolvimento da respectiva área.

Leia também: Jayme Szwarcfiter recebe Prêmio Elon Lages Lima
Pesquisador Douglas Arnold critica Fator de Impacto