Navegar

31 de maio de 2019, 15:53h

IMPA substitui copo plástico por produto sustentável

Viana anuncia mudanças para tornar o IMPA um espaço ainda mais sustentável

Às vésperas do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, o diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana, anunciou medidas que tornam o dia a dia na sede ainda mais sustentável. Além da substituição do copo plástico por similar produzido com fibra de bambu, será adotado um novo sistema de coleta de lixo.

“Estamos dando a partida para uma segunda rodada neste esforço de sustentabilidade. Uma das consequências é que vamos acabar com o copinho plástico aqui no IMPA. Estamos nos adiantando a uma tendência que é inevitável”, afirmou Viana, ao abrir a palestra sobre sustentabilidade ministrada na manhã desta sexta-feira (31). 

Leia também: Prêmio IMPA-SBM de Jornalismo 2019 abre inscrições
A notável família matemática Bernoulli era problemática
Luciano de Castro é o novo pesquisador do IMPA
 

Para transformar o copo plástico em objeto em extinção no IMPA, cada funcionário ganhou um similar sustentável, que tem tampa com dupla abertura e pode ser usado para líquidos quentes e frios. “É um copo muito mais correto [ambientalmente] e bonito”, brincou Viana.

A meta de tornar o IMPA mais verde inclui adoção de novos hábitos também em relação ao descarte de resíduos. As lixeiras existentes em cada sala serão abolidas para dar lugar a ilhas de coleta, distribuídas em determinados pontos do instituto. O modelo é semelhante ao adotado em 2017, com as impressoras, sistema que, segundo Viana, trouxe ganhos ambientais e econômicos. “Em um ano, economizamos 37 árvores”, observou.

Eleonor Valéria dá detalhes sobre projeto Descolido aos funcionários do iMPA

Para botar em prática o novo sistema, o IMPA firmou parceria com Eleonor Valéria, criadora do projeto de educação ambiental Mutema. Durante a palestra, ela explicou que serão adotadas no instituto as diretrizes do Descolido, iniciativa que estimula o descarte consciente do lixo doméstico.

Cada ilha de descarte terá cinco lixeiras, com cores específicas para cada tipo de material: vermelho (plástico), azul (papeis), amarelo (alumínio), orgânicos (marrom) e cinza (tudo o que não puder ser reciclado ou reutilizado).

Na palestra, Valéria frisou ser essencial limpar as embalagens antes do descarte. “Basta passar uma água antes. Em dois segundos você resolve. Não precisa usar sabão. Se jogar sujo vai estragar os demais objetos que estão ali. Pode atrair pragas, baratas”, explicou.

O material descartado será recolhido e levado para a sede do Mutema, onde passará por nova separação e reciclagem. Além do reuso, garrafas plásticas e embalagens de produtos de limpeza, por exemplo, são transformados em brinquedos, pufes e porta-lápis, entre outros objetos, destinados a moradores do bairro Carioca, na Zona Norte. “O que é lixo para você pode ser luxo para outra pessoa”, observou Valéria.

Sherly vivencia práticas mais sustentáveis no IMPA e na creche da filha

Funcionária do setor de Contabilidade, Sherly Dantas elogiou a substituição do copinho plástico. “Isso é muito importante para o meio ambiente. São novos hábitos. É interessante porque o que estamos vendo aqui também está sendo ensinado na creche da minha filha”, disse ela, referindo-se a Maria Vitória, de 3 anos.

Pesquisador da área de Geometria Simplética, Vinícius Ramos também aprovou a mudança. Embora tenha uma caneca para café, ela fica permanentemente em sua sala. “Só uso o copo plástico quando chego ao IMPA, antes de subir para o terceiro andar”, explicou. Agora, nem isso. Como o copo de bambu é leve e vedado, pode ser levado dentro da mochila.

Leia também: Série de reportagens aborda ciência de ponta a ponta
IMPA abre seleção para analista administrativo