Navegar

12 de agosto de 2019, 10:16h

Doutor pelo IMPA publica artigo sobre dengue no Brasil

O matemático Lucas Stolerman, doutor pelo IMPA em 2017, publicou um artigo na última quinta-feira (8) sobre a epidemia da dengue no Brasil. Intitulado “Forecasting dengue fever in Brazil: An assessment of climate conditions”, o trabalho relaciona as condições climáticas de grandes centros urbanos brasileiros com a ocorrência de casos da doença.

De coautoria de Pedro D. Maia (Universidade da Califórnia em São Francisco) e J. Nathan Kutz (Universidade de Wahsington), o artigo usou dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) para montar séries climáticas de, 2001 a 2013, das capitais de Aracaju, Belo Horizonte, Manaus, Recife, Salvador, São Luís e Rio de Janeiro. O método escolhido explora o impacto de duas variáveis-chave: a frequência de precipitação e a temperatura média.

Leia também: O que querem as mulheres matemáticas, afinal?
Jorge Zubelli, um matemático multidisciplinar
 
No Blog Ciência & Matemática, uma reflexão sobre a cola

Para cruzar estes dados com os anos de incidência da doença nas respectivas cidades, os “anos epidêmicos”, os matemáticos desenvolveram novos algoritmos de machine learning para agrupamento e classificação, conhecidos como Support Vector Machines.

Os resultados alcançados pelos pesquisadores indicam que cada capital brasileira analisada tem suas próprias assinaturas climáticas, que se correlacionam com o número total de casos humanos de dengue. Outra descoberta interessante é que, na maioria das cidades estudadas, o inverno que antecede um ano epidêmico fornece importantes previsões.

Os autores esperam que o trabalho possa ajudar na elaboração de políticas de saúde pública para as cidades, aumentando as medidas de controle de vetores durante épocas críticas e melhorando a previsão de anos de epidemia de dengue. 

O artigo está disponível neste link.

Leia também: Ramos apresenta teoremas da Geometria Simplética
Cartaz da OBMEP 2019 faz homenagem aos índios