Navegar

11 de dezembro de 2017, 13:45h

Prêmio Capes de Tese celebra trabalho de doutor do IMPA

Aconteceu na última quinta-feira (7), em Brasília (DF), a cerimônia do Prêmio Capes de Tese 2017, que teve, entre os 48 vencedores, Felipe Ferreira Gonçalves, mestre e doutor pelo IMPA. Gonçalves foi premiado na categoria Matemática/Probabilidade e Estatística com a tese “Extremal Problems, Reconstruction Formulas and Approximations of Gaussian Kernels”, orientada pelo pesquisador Emanuel Carneiro. 

Professor assistente da Universidade de Alberta, em Edmonton (Canadá), Gonçalves não pôde comparecer ao evento. Ele foi representado pela irmã Fernanda Gonçalves.  “Fiquei muito feliz com a premiação e muito honrado por representar o IMPA”, disse o matemático, que, com a tese, também ganhou o Prêmio Gutierrez neste ano.

Leia também: Clarice Lispector e Leopoldo Nachbin, “os impossíveis”
Talento de povoado em PE alça voos cada vez mais altos
Especialistas em Geometria vencem o Breakthrough Prize

Em mensagem enviada aos demais vencedores, Gonçalves enaltece a conquista em meio ao cenário de incertezas para a pesquisa no Brasil.

“Quem imaginou, ao entrar na graduação, que algum dia estaria entre os melhores pesquisadores do país, sendo premiado pelo governo federal por sua excelência em pesquisa? Quem pode prever isso, diante de tantas incertezas que nossa nação possui? Eu posso, nós podemos, nós devemos! Pois, para estar aqui entre a gente, é preciso acreditar, é preciso adivinhar o futuro, mesmo que só na fantasia”, escreveu o matemático, para quem, “nas nossas circunstâncias”, o pesquisador “tem que acreditar que a solução para o seu problema vai ser encontrada, que ela está ao seu alcance, que você pode, que você deve, que você conseguirá!”.

“Obrigado Capes! Meus amigos, fiquem felizes. Nós somos a nata da pesquisa científica do país!”, concluiu a mensagem.

Além do reconhecimento, Gonçalves ainda ganhou da Capes uma bolsa de pós-doutorado e deve voltar ao IMPA, no primeiro semestre do próximo ano, para desenvolver um novo trabalho.

Emanuel Carneiro, que esteve presente à premiação, representando o IMPA, comentou com entusiasmo a conquista do ex-aluno.

“Fico muito feliz com o reconhecimento do nosso trabalho com o Prêmio Capes de Tese. É uma grande honra, e uma enorme responsabilidade, poder vir aqui a Brasília e representar a comunidade matemática em nosso país. Foram meses, anos, de trabalho forte, às vezes com um risco não trivial associado, mas que, ao final, foi concluído com sucesso, superando as nossas expectativas. Meu papel como orientador foi substancialmente simplificado por ter um aluno tão talentoso como Felipe, que, durante todo o programa de doutorado do IMPA, teve uma performance excelente, culminando com a maravilhosa tese que hoje é premiada. É um orgulho ver que nosso país pode formar, sim, de ponta a ponta, cientistas com este perfil – que hoje exportamos, mas que podem retornar um dia”, disse Carneiro.

O pesquisador do IMPA espera que Felipe Gonçalves sirva de modelo e possa inspirar outros jovens matemáticos a trilharem seus próprios caminhos. “Que encontrem prazer nesta tarefa, e que isso os leve a ter a ciência no coração.”