Navegar

8 de dezembro de 2017, 13:39h

Especialistas em Geometria vencem o Breakthrough Prize

Os matemáticos Christopher Hacon, da Universidade de Utah (EUA) e James McKernan, da Universidade da Califórnia (EUA), foram os vencedores do Breakthrough Prize 2018, na categoria Matemática Avançada, por seus avanços na área de Geometria Algébrica Birracional.

A cerimônia de premiação, realizada no Centro de Pesquisa Ames da NASA, na Califórnia (EUA), aconteceu na noite do último domingo (3) e teve o ator Morgan Freeman como anfitrião. O evento, considerado o “Oscar da Ciência”, foi televisionado pelo canal National Geographic nos Estados Unidos.

Leia também: Matemática dos cassinos resolve muitos problemas práticos
Estadão: ‘Machine learning chega às finanças’
A matemática pode nos ajudar a solucionar crimes?

Na categoria Novos Horizontes em Matemática, que premia pesquisadores em início de carreira, os vencedores foram Aaron Naber (Northwestern University), Maryna Viazovska (École Polytechnique Fédérale de Lausanne), Zhiwei Yun (Universidade de Yale) e Wei Zhang (Massachusetts Institute of Technology e Columbia University).

Os premiados em Ciência da Vida foram Joanne Chory, Don W. Cleveland, Kazutoshi Mori, Kim Nasmyth, and Peter Walter. Na categoria Física, os vencedores foram Charles L. Bennett, Gary Hinshaw, Norman Jarosik, Lyman Page Jr., David N. Spergel, e o WMAP Science Team.

O prêmio

Criado em 2012, o Breakthrough Prize tem como objetivo reconhecer inovações realizadas por pesquisadores de três áreas: Física, Ciências da Vida e Matemática. Patrocinado por Sergey Brin, Priscilla Chan e Mark Zuckerberg, Pony Ma, Yuri e Julia Milner, e Anne Wojcicki, ele oferece a cada laureado um troféu criado pelo renomado escultor Olafur Eliasson. Os vencedores das categorias principais (Avançado), recebem ainda 3 milhões de dólares cada.

Os escolhidos participam da cerimônia no Vale do Silício e ainda se comprometem a participar de um programa de palestras e discussões para inspirar a próxima geração de cientistas. Diferentemente de outros prêmios científicos, aqueles que fizerem novas descobertas continuam elegíveis para outras edições do Breakthrough Prize.

Na primeira edição, apenas físicos foram reconhecidos. No ano seguinte, a categoria Ciências da Vida passou a valer, enquanto a matemática só começou a fazer parte da premiação em 2015. Os primeiros a receberem o troféu nesta área foram Simon Donaldson, Maxim Kontsevich, Jacob Lurie, Terence Tao e Richard Taylor. Em 2016, apenas Ian Agol saiu vencedor, enquanto em 2017 o prêmio ficou nas mãos de Jean Bourgain.