Navegar

29 de janeiro de 2018, 14:45h

Brasil ganha oito medalhas na Iberoamericana Universitária

A equipe que representou o Brasil na 20ª Olimpíada Iberoamericana de Matemática Universitária (OIMU), realizada no fim de 2017, conquistou oito medalhas — um ouro, duas pratas e cinco bronzes — e duas menções honrosas. Formado por dez competidores, o time brasileiro concorreu com equipes de oito países (Argentina, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Espanha, Guatemala, México e Portugal).

Valentino Amadeus Sichinel, aluno de graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e de mestrado do IMPA, foi o único brasileiro a ganhar o ouro nesta edição.  Gabriel Fazoli Domingos, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e Thiago Landim de Souza, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), receberam a prata.

Leia também: Brasil é promovido à elite da matemática mundial
IMPA divulga dossiê do acesso do Brasil à elite da matemática
Brasil está entre as potências em matemática, destaca JN

Thiago Ribeiro Tergolino, do Instituto Militar de Engenharia (IME); Marcelo Soares Campos, Rafael Filipe dos Santos e Daniel Eiti Nishida Kawai, todos da Universidade de São Paulo (USP), e Hudson William Braga Vieira, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), conquistaram medalhas de bronze. As menções honrosas foram entregues a Arthur Ferreira do Nascimento, da USP, e Raoní Cabral Ponciano, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Realizada desde 1998, a olimpíada é disputada por Espanha, Portugal e países da América Latina. Os principais objetivos da competição são identificar estudantes com especial interesse e habilidade matemática, fomentar relações de amizade e cooperação internacional, criar oportunidades de intercâmbio de informação sobre programas de estudo e ensino da Matemática universitária e estimular o pensamento criativo entre os estudantes dos países iberoamericanos.

Valentino Amadeus Sichinel, aluno de mestrado do IMPA, ganhou medalha de ouro

Para participar do torneio, os competidores não podem possuir título universitário ou equivalente e devem estar matriculados em uma universidade como estudante de graduação. No Brasil, é recomendado que os alunos tenham participado previamente da OBM (Olimpíada Brasileira de Matemática) no nível universitário.

A presença do Brasil na competição é organizada pela OBM, iniciativa conjunta do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Os resultados gerais da competição podem ser consultados no endereço: https://goo.gl/5u8MHA

Leia também: Folha: Poincaré e Oscar 2º, o rei que amava a matemática
‘Não me recordo de outro país que tenha feito esse percurso’
Projeto do Visgraf une realidade virtual, cinema e teatro