Navegar

23 de janeiro de 2019, 11:56h

23 dos 76 aprovados na Unicamp têm medalhas da OBMEP e OBM

 

Dos 76 estudantes que garantiram vaga na graduação da Unicamp por meio de uma nova modalidade de ingresso, destinada a premiados em competições de conhecimentos, 23 são medalhistas de ouro, prata ou bronze na OBMEP e na OBM, as olimpíadas organizadas pelo IMPA. A quantidade representa 30% do total. 

Nesta primeira chamada para as vagas olímpicas, formato criado pela Unicamp para promover a inclusão social e ampliar os modos de acesso, foram aceitas inscrições de premiados em 18 olimpíadas em 2017 e 2018. O maior número de inscritos foi da OBMEP, seguida da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR). 

Leia também: Equações preveem evolução no tamanho de anfíbios
A Medalha Fields de 2018, por Simon Donaldson
IMPA abre vaga em Matemática Aplicada

Dos 76 selecionados, 50 são de escolas públicas; os demais, de instituições privadas. São 30 medalhistas de ouro, 23 de prata, 22 de bronze e um ganhador de menção honrosa em uma olimpíada internacional. 

“A OBMEP revela, todos os anos, alunos de escolas públicas com  aptidão para Matemática e ciências básicas. Selecionando alunos que nela se destacaram, a Unicamp admite jovens que se destacarão na vida acadêmica.  Por outro lado, espero que a UNICAMP proporcione aos medalhistas da OBMEP as condições necessárias para um bom desempenho acadêmico. Muitos chegarão com lacunas na formação, e a maioria precisará de uma bolsa de manutenção para a subsistência em Campinas”, disse o diretor-adjunto do IMPA e coordenador-geral da OBMEP, Claudio Landim. Dos 23 medalhistas aceitos na Unicamp, 20 são da OBMEP e 3, da OBM.

Medalhista de bronze em 2017, quando estudava no Instituto Federal Sul de Minas – Campus Muzambinho, Merhy Endy Dias Farias, 19, não acreditou ao receber o e-mail com a notícia. 

“Nem queria fazer a inscrição porque achava que não conseguiria, mas uma amiga insistiu. A Unicamp sempre foi minha ambição. Definitivamente, não esperava conseguir mais uma conquista através de uma olimpíada. Se a OBMEP e os meus professores já eram especiais para mim, hoje são ainda mais”, diz Merhy, de Juruaia (MG), aprovada para Licenciatura em Matemática.

Aluna do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Campus São João da Boa Vista, Nataina Novais Silva Barbosa, 18 anos, esfregou os olhos para ter certeza de que fora uma das aprovadas na Unicamp. Medalhista de ouro na OBMEP 2018, ela ficou tão feliz que sentou em frente ao computador e escreveu uma mensagem aos organizadores da competição, em agradecimento às inúmeras oportunidades que surgiram desde que participou da olimpíada pela primeira vez.

Aprovados são de todas as regiões do país 

Depois de São Paulo, com 25 aprovados, o Ceará é o Estado com o maior número de estudantes na lista divulgada pela Unicamp nesta segunda-feira (21).  Os demais são de outras 16 unidades da Federação, de todas as regiões brasileiras. 

Medalhista contumaz, o cearense George Lucas foi aprovado para Engenharia Elétrica

Um dos cearenses selecionados, George Lucas Diniz Alencar, 20, é medalhista contumaz em competições de Matemática. Entre as duas dezenas de prêmios já conquistados, figuram dois bronzes na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, na sigla em inglês) e dois ouros e um bronze na OBM. Ele foi aprovada para o curso de Engenharia Elétrica. “Aprendi bastante com as olimpíadas. Elas abriram a minha mente para algo além do que é visto em sala de aula. Não me imaginaria hoje sem esse percurso feito desde o Ensino Fundamental”, afirma ele, que considera “genial” a nova modalidade de ingresso na Unicamp.

“Por ser uma instituição muito boa, há muitos alunos de desempenho olímpico excepcional que se interessam por ela e, agora, não terão a barreira do vestibular, que cobra assuntos completamente desconexos em relação à área na qual o aluno deseja ingressar”, afirmou o estudante, que fez o Ensino Médio no Colégio Farias Brito, em Fortaleza.

O cearense Bruno Brasil Meinhart, 18 anos, trimedalhista na OBM e medalhista de bronze na IMO 2018, definiu como “sensacional” a novidade na Unicamp.

Bruno Brasil considerou a nova modalidade de ingresso na Unicamp sensacional 

“Resultados em olimpíadas requerem muito mais que conhecimentos técnicos. São necessários resiliência, estratégia de estudo, disciplina, foco, motivação. Com o edital, a Unicamp consegue filtrar alunos com essas habilidades, e isso é bom para os dois lados”, avaliou o estudante do Colégio Ari de Sá Cavalcante (Fortaleza), aprovado em Ciência da Computação.

Os selecionados estão distribuídos em 16 cursos. Os mais procurados como primeira opção foram engenharia física, física, física médica e biomédica, Matemática e Matemática Aplicada e Computacional e engenharia elétrica. Os aprovados devem realizar a matrícula, na página da Unicamp, até 18h desta quarta-feira (23). A segunda chamada será em 29 de janeiro (terça-feira da próxima semana).

Leia também: Por que a descoberta do maior número primo importa?
Cursos de verão no IMPA reúnem 400 estudantes de 11 países
Anápolis recebe medalhistas da OBM para Semana Olímpica