Navegar

19/02/2020

Von Neumann criou o primeiro computador programável

Foto: Folha de S. Paulo

Reprodução da coluna de Marcelo Viana, na Folha de S.Paulo

Em 1933, John von Neumann integrou o primeiro grupo de professores do Instituto de Estudos Avançados de Princeton, juntamente com A. Einstein e os matemáticos O. Veblen e J. Alexander, bem mais idosos. Ao lado deles, com 30 anos e rosto mimoso, von Neumann parecia um estudante.

Ao contrário de muitos outros cientistas húngaros que emigraram para os Estados Unidos em torno da Segunda Guerra Mundial, e nunca se livraram do sotaque pesado, von Neumann falava inglês perfeito, pelo menos quando se distraía: quando atento, tinha um sotaque “interessante”. Nunca abria mão da elegância: contam que fez a trilha do Grand Canyon no lombo de uma mula, sob calor intenso, vestindo terno e gravata branca com lenço colorido na lapela. 

Leia também: Roberto Andrés defende tese de doutorado nesta quarta (19)
Definida equipe do Brasil para olimpíada romena
IMPA abre chamada pública para bolsas de pesquisa PCI

A América era tudo de bom para Johnny, que apreciava as coisas boas da vida e sabia se divertir. Mas havia inconvenientes, claro. Princeton carecia dos cafés do Velho Mundo, em que você pode se sentar durante horas, tomando expresso e discutindo ciência, arte e cultura. Por um tempo, cogitou abrir uma taverna de estilo europeu, mas acabou desistindo.

Em vez disso, ele e sua esposa Klara davam magníficas festas em sua residência. Pelo menos uma vez por semana, música e dança, além de comida, bebida e charutos servidos por empregados uniformizados, animavam a vida pacata de Princeton. Depois que essas festas acabaram, a cidade nunca mais foi a mesma (fiz pós-doutorado lá, garanto que há lugares melhores para se divertir…).

Foi nesse período que von Neumann liderou a construção do primeiro computador verdadeiramente programável. Hoje em dia, todo mundo “sabe” que o primeiro computador foi construído pelo matemático britânico Alan Turing durante a Segunda Guerra Mundial, mas isso é invenção da indústria do cinema. Turing concebeu a ideia de uma máquina calculadora universal, capaz de resolver qualquer problema computacional e não apenas tarefas específicas, mas nunca realizou essa ideia.

O ENIAC (Computador e Integrador Numérico Eletrônico, na sigla em inglês), primeiro computador digital, foi construído na Filadélfia em 1945-46. Tinha por missão calcular trajetórias balísticas, mas podia ser reestruturado para outras tarefas. Só que isso precisava ser feito manualmente, mudando o hardware da máquina, o que demorava até dois dias. Além disso, o ENIAC era colossal —mais de 100 mil peças, ocupando 90 m3— e o consumo também: dizem que quando era ligado todas as lâmpadas no estado da Pensilvânia enfraqueciam.

Leia também: Setores de Finanças e Mercado buscam talentos matemáticos
O Globo destaca Workshop Matemática e Indústria

Para ler o texto na íntegra acesse o site do jornal ou confira na versão impressa