Navegar

14/06/2022

Visgraf e Centro Pi promovem seminários sobre o metaverso

Crédito: Freepik

Desde a preservação do patrimônio cultural até avanços na medicina e arte são temas presentes nos debates sobre novas mídias e metaverso. O Visgraf (Laboratório de Computação Gráfica do IMPA) e o Centro de Projetos e Inovação IMPA (Centro Pi) estão promovendo uma série de três seminários sobre o tema, que acontecem na próxima quarta-feira (15) e em 22 e 29 de junho. As palestras serão abertas ao público e transmitidas pelo YouTube do Visgraf

Com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), o programa “Space XR – Um Locus de Experimentação para Realidade Expandida em Espaços Midiáticos Compartilhados” busca difundir o uso de tecnologias de realidade expandida com aplicações em três linhas de pesquisa. Os webinários têm como convidados os colaboradores das áreas de saber que serão retratadas em cada palestra. 

Leia mais: Reportagem sobre o IMPA é destaque na capa do Globo
INCTMat abre chamada pública para bolsa de iniciação científica
Funcionárias se reúnem para campeonato de sinuca

“A pesquisa na área de novas mídias e metaverso mostra o quanto estamos sintonizados com o que está acontecendo no mundo de mais avançado. É um projeto que para se viabilizar precisa de muita matemática, tanto no sentido teórico como no prático. E também estamos colaborando para trazer o futuro para essas áreas de arte, saúde e patrimônio cultural, que são importantes para o desenvolvimento do Rio de Janeiro”, afirmou Luiz Velho, pesquisador-líder do Visgraf, que conduz o projeto com Jorge Lopes, coordenador de projetos tecnológicos do IMPA.

Nesta quarta, às 13h30, a primeira palestra discute o papel do metaverso na preservação do
patrimônio cultural e a realidade expandida
. O Museu Nacional e o Laboratório de Processamento de Imagens Digitais (LAPID – UFRJ), em parceria com o IMPA, criaram mais de 10 salas no metaverso para abrigar acervos do museu, desde peças do Egito até paleontologia, assim como novas criações. Algumas delas foram recuperadas do incêndio que atingiu o espaço, em 2018.

Sérgio Azevedo, diretor do LAPID e ex-diretor do Museu Nacional, afirma que o metaverso potencializa novos formatos de exposições. “Os museus evoluíram ao longo do tempo e as ferramentas digitais acabaram influenciando a forma de passar informações para o público. Nosso projeto mostra que as ferramentas digitais podem ajudar na divulgação dos acervos culturais, através de exposições no metaverso, fazendo com que a informação atinja a população geral”, comentou. 

Em 22 de junho, também às 13h30, a palestra “Novas Mídias, Arte e Narrativa” apresenta o trabalho de efeitos visuais, cinema e arte no metaverso. Os convidados são o organizador do VFX Rio, Matteo Moriconi, Affonso Beato, da ABC Cursos de Cinema, e Bernardo Alevato, da PUC-Rio. Já em 29 de junho, no mesmo horário, é a vez de Heron Werner, da Dasa, e Jorge Lopes, do IMPA, debaterem “Medicina no Metaverso”.

Leia também: Étienne Ghys fala sobre divulgação científica
Brasil confia mais na ciência do que outros países