Navegar

19 de março de 2020, 12:51h

Prêmio Turing vai para pioneiros na computação gráfica

Foto: MIT Technology Review

O Prêmio Turing (ACM A.M. Turing Award), considerado o Nobel da Computação, deste ano ficou com Edwin Catmull e Patrick Hanrahan. Você pode até não conhecê-los pelos nomes, mas se já assistiu a Toy Story, O Senhor dos Anéis, Procurando Nemo ou Titanic, viu algumas das técnicas inovadoras desenvolvidas pela dupla. A premiação de US$1 milhão tem apoio do Google, Inc. 

Catmull co-fundou a Pixar e teve Hanrahan como um dos primeiros funcionários, ainda na década de 1980. Especialista em modelagem de materiais, Hanrahan passou grande parte do tempo fazendo pesquisas para aproximar as animações da vida real. Atuou como arquiteto líder da equipe que criou o software conhecido como RenderMan, inovador por permitir que cineastas pudessem transformar imagens em animações fotorrealistas que podem ser combinadas com cenas da vida real. 

Leia também: Viana fala do problema do coronavírus na Folha
Prêmio Elon Lages Lima está com inscrições abertas
IMPA suspende aulas, eventos, viagens e visitas

Sob a liderança de Catmull, a Pixar fez uma sequência de filmes usando o mecanismo e licenciou o software para outras empresas de cinema. O RenderMan chegou a levar um Oscar técnico em 2001(Academy Award of Merit ), foi usado em 44 dos últimos 47 filmes que concorreram na categoria Efeitos Visuais também no Oscar e é usado até os dias de hoje. O trabalho da dupla sobre programação de unidades de processamento gráfico (GPUs) teve implicações que ultrapassaram a computação gráfica e contribuíram em avanços para estudos em gerenciamento de dados e inteligência artificial.  

“Como as imagens de computação gráfica em 3D são agora tão difundidas, muitas vezes esquecemos como era o campo há tão pouco tempo”, pontuou Jeff Dean, membro sênior do Google e vice-presidente sênior de SmoothVideo Project de Inteligência Artificial do Google, ao site A.M. Turning. 

“A tecnologia continua avançando, mas o que Hanrahan e Catmull desenvolveram décadas atrás continua sendo a prática padrão no campo de hoje – o que é impressionante. É importante reconhecer as contribuições científicas e educar o público sobre uma disciplina que vai impactar muitas áreas nos próximos anos: realidade virtual e aumentada, visualização de dados, educação, imagens médicas e muito mais”, conclui Jeff. 

Hanrahan e Catmull já receberam juntos outros prêmios do Grupo de Interesse Especial em Computação Gráfica e Técnicas Interativas da Associação de Maquinaria Computacional (A ACM SIGGRAPH) e da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. 

A última vez que o Prêmio Turing havia sido entregue a cientistas da computação gráfica foi em 1988. A premiação é uma homenagem a Alan Mathison Turing (1912-1954), um matemático e cientista da computação britânico. Ele fez avanços fundamentais na arquitetura de computadores, algoritmos, formalização da computação e inteligência artificial. Turing também foi fundamental no trabalho de quebra de código britânico durante a Segunda Guerra Mundial. A premiação é a de maior prestígio da Associação para Máquinas de Computação (Association for Computing Machinery).

Leia também: Pinheiro: Palis tem grande impacto na matemática do Brasil
Como o telégrafo anunciou a comunicação moderna