Navegar

6 de maio de 2019, 08:25h

Luiz Velho modera painel sobre avanços no fotorrealismo

Luiz Velho é pesquisador-líder do Visgraf

Games com reflexos realistas em tempo real, gerados por processos que acontecem milhões de vezes a cada milissegundo, podem soar fictícios para a geração Atari. Mas já são realidade, mostrou a Rio Creative Conference (Rio2C), maior encontro de criatividade e inovação da América Latina, que, pelo segundo ano consecutivo, contou com a participação do Visgraf, laboratório de Computação Gráfica do IMPA.

Encerrada no domingo, 28 de abril, a conferência internacional reuniu as mais importantes indústrias da área, renomados pesquisadores e desenvolvedores na Cidade das Artes, no Rio. Em foco, negócios, tendências e debates sobre o segmento audiovisual, como o painel “XR | Games: o futuro do fotorrealismo para o Cinema, Games e XR” – para quem não é da área, XR abrange todas as várias formas de realidade alterada por computador, como realidade virtual e aumentada.         

Leia também: Prêmio IMPA-SBM de Jornalismo 2019 abre inscrições
Aos 98 anos, morre Maurício Peixoto, fundador do IMPA
Há muitas carreiras promissoras na Matemática
                  

Moderado pelo pesquisador-líder do Visgraf, Luiz Velho, o painel contou com Alexandre Kikuchi (Unity) e Paulo Souza (Unreal), representantes das duas mais populares plataformas de software para desenvolvimento de jogos e experiências em realidade virtual e aumentada – e Marcio Aguiar, gerente-sênior de vendas corporativas para a América Latina da Nvidia, a mais importante empresa da área de computação gráfica, realidade virtual e inteligência artificial do mundo.

O grupo discutiu o estado da arte do fotorrealismo, que passou por uma revolução recente com o lançamento de uma tecnologia desenvolvida pela Nvidia. Segundo Velho, a inovação, agora incorporada pela Unity e Unreal, permite a criação de gráficos tão verossímeis que mais parecem cenários de filmes hollywoodianos.

A Nvidia lançou a primeira unidade de processamento gráfico (GPU, na sigla em inglês) que suporta traçado de raios em tempo real, usada nas placas de vídeo GeForce RTX. Com isso, iluminação, reflexos e sombras alcançam um nível de realismo inimaginável, possibilitando experiências mais imersivas. “A empresa desenvolveu a arquitetura Turing, que pode executar algoritmos de inteligência artificial complexos em tempo real para criar imagens muito realistas”, explica Velho.

Nova tecnologia traça o caminho da luz de vários pontos de vista diferentes. Foto: Nvidia

A simulação sem precedentes é possível graças a algoritmos que traçam o caminho da luz de vários pontos de vista diferentes e, depois, simulam sua interação com objetos 3D existentes na cena. Conforme o raio se desloca, passa a reunir informações de cor e luz de todos os objetos que encontra. Uma vez combinadas, elas produzem a cor final de um pixel, a ser exibido na tela.

No painel, o pesquisador do IMPA, o fabricante e as duas principais plataformas usadas por desenvolvedores de jogos e aplicações em realidade virtual, que este mês incorporaram a tecnologia da Nvidia, conversaram sobre as formas como a inovação do traçado de raios em tempo real vai impactar no fluxo de trabalho e no resultado final, possibilitando imagens fotorrealistas, e o que esperar do futuro na área.

Lançada pela Nvidia no fim de 2018, a inovação já está disponível no Visgraf, que desde 1989 investiga modelos matemáticos e computacionais para aplicação em novas mídias.

“É uma revolução nas aplicações ligadas a jogos, realidade aumentada, cinema. E já estávamos trabalhando com ela aqui no IMPA. Fomos um dos primeiros laboratórios do Brasil a comprar essa placa. Começamos a fazer coisas incríveis”, disse Velho, adiantando que, em breve, terá novidades.

É o segundo ano consecutivo do pesquisador-líder do Visgraf na Rio2C, que une inovação e audiovisual em produções com realidade virtual em diferentes formatos – games, documentários, ficção, animações em duas e três dimensões.  No ano passado, ele foi convidado para o painel “VR e AR – futuros possíveis”, com Kari Pulli, CTO da fabricante de headsets de realidade aumentada Metavision, e Luiz Alberto Oliveira, curador do Museu do Amanhã.

Na Rio2C 2018, público usou equipamento de realidade virtual para ver “The Tempest”

Além de integrar o painel, “The Tempest”, experimento do Visgraf que une cinema, teatro, realidade virtual e tecnologia de jogos, baseado em obra de William Shakespeare, foi exibido em domos espalhados na XR Arcade, uma das principais atrações da Rio2C.

“O IMPA é o centro e a referência em Matemática Pura e Aplicada. Agora, as pessoas estão reconhecendo o IMPA também como centro de inovações em mídia”, destacou Velho, observando que o Visgraf acompanha as tecnologias de ponta desde a sua criação, há 30 anos.

Leia também: Beneficiária do Bolsa Família conquista medalha na OBMEP
Matemático se dedicou a escola rural em Petrópolis, por décadas