Navegar

15 de julho de 2019, 19:37h

Cerimônia de abertura destaca parceria entre Brasil-França

Uma parceria histórica celebrada com um encontro com grandes nomes da Matemática. O “1st Joint Meeting Brazil-France in Mathematics” começou nesta segunda-feira (15) e vai até sexta-feira (19). Na cerimônia de abertura, no auditório Ricardo Mañé, o diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana, recordou a criação do evento e parabenizou os organizadores.

“Por que organizar um evento com cinco anos de antecedência? Para que o Comitê Científico tivesse tempo de fazer um trabalho fantástico”, elogiou Viana. 

Leia também: Na Folha, os primórdios da informática da Holanda
Milton Jara, o físico chileno que ‘virou’ matemático brasileiro
Evento no IMPA debate participação feminina na Ciência

A ideia de reunir matemáticos de ambos os países, em especial jovens pesquisadores, para discutir temas de ponta na área surgiu em 2014, na Assembleia Geral da União Internacional de Matemática (IMU), realizada na Coreia do Sul.

Integrantes do grupo de 11 países mais desenvolvidos em pesquisa matemática e parceiros de longa data na área, Brasil e França já fizeram muitas colaborações.

“As pesquisas em matemática nos dois países cobrem várias áreas. Isso pode ser visto na diversidade de temas contemplados nas sessões especiais e nas palestras”, destacou Gerard Besson, da Société Mathématique de France (SMF). 

Com mais de 200 apresentações programadas, o evento aborda questões dos campos da álgebra, geometria, combinatória, sistemas dinâmicos, entre outros. 

Além de apresentar números do evento, Harold Rosenberg, chefe do Comitê Científico e pesquisador extraordinário do IMPA, recordou o trabalho dos matemáticos Maurício Peixoto, Manfredo do Carmo e Elon Lages Lima. “Todos estiveram muito empenhados em contribuir para a educação matemática no Brasil”, apontou o pesquisador. 

Paolo Piccione, presidente da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), ressaltou ainda que tão importante quanto participar das discussões matemáticas é também aproveitar para conhecer a cultura dos participantes. “É uma oportunidade para trocar experiências e socializar”, disse. 

Claudio Landim, diretor-adjunto do IMPA, assinalou o papel do IMPA como uma Unité Mixte Internationale (UMI), que permite aos matemáticos do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique), ou de qualquer universidade francesa, visitar o instituto por um ano e colaborar com colegas brasileiros com todos os custos cobertos pelo CNRS e suas instituições.

“Todas as universidades brasileiras podem acolher pesquisadores franceses, por um período de seis meses a um ano. Mas essa é uma oportunidade que não tem sido explorada, ela tem apenas beneficiado o IMPA”, apontou Landim. 

A mesa de abertura também foi composta pelos representantes do Consulado-Geral da França no Rio de Janeiro, Philippe Michelon; da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC), Luiz Mariano Carvalho; e da Société de Mathématiques Appliquées et Industrielles (SBMAI), Nicholas Vauchelet.

Dirigido por Maria José Pacifico (Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ), o Comitê Organizador Local é integrado por Gabriel Calsamiglia (Universidade Federal Fluminense – UFF); Lorenzo J. Díaz (Pontifícia Universidade Católica – PUC-Rio); Ademir Pazoto (UFRJ); José Espinar e Suely Lima (IMPA).

Leia também: Meeting Brazil-France renova parceria entre os dois países
Rafael Ponte defende tese na área de Geometria Diferencial