Navegar

13/10/2022

Admiradora das ‘pequenas escalas’ defende tese em fluidos

Origami, crochê e confeitaria ocupam o tempo livre de Julia Domingues Lemos. Mas, na maior parte do tempo, a doutoranda deixa de lado os trabalhos manuais “pequenininhos”, como ela mesma descreve, para focar na matemática, também em “pequenas escalas”. Intitulada “Fechamento condicionado ao histórico para modelos de turbulência: uma abordagem orientada por dados”, a tese de doutorado de Julia é sobre problemas de turbulência e modelagem de menores escalas. O trabalho será apresentado nesta sexta-feira (14), às 10h, na sala 232, com transmissão pelo
YouTube do IMPA.

Nascida no Rio Grande do Sul, Julia Domingues Lemos graduou-se e fez mestrado em matemática aplicada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Desde que iniciou o doutorado do IMPA, em 2018, participa do Grupo de Dinâmica dos Fluidos (Fluid), onde centrou-se na área de escoamento turbulento, sendo orientada pelo pesquisador do IMPA Alexei Mailybaev.

Leia mais: Viana explica teorema de Bayes em sua coluna na Folha
IMPA reformula programa de mestrado
Instituto está com duas vagas abertas para pesquisadores

“Em termos gerais, quando temos uma xícara de café e jogamos leite em cima, conseguimos ver vários redemoinhos. Como o escoamento é turbulento, tem coisas acontecendo em escalas diferentes. Aquele grande redemoinho que está no meio, basicamente, alimenta redemoinhos menores, que são difíceis de simular em um computador. Mas esses menores também são importantes, porque dissipam energia, por exemplo. O meu trabalho é, de certa forma, modelar essas pequenas escalas!”, define a doutoranda. 

Uma vez aceita no doutorado, Julia se mudou para o Rio de Janeiro e, aos poucos, foi se adaptando à cidade. “O início foi difícil, mas depois dos exames do doutorado, fui vivenciando o IMPA e a própria cidade. O instituto oferece muitas coisas legais!”, relembra a gaúcha. Ela conta que, quando se sentiu perdida, contou com a orientação de Mailybaev. “Ele esteve muito disponível e tenho muitas coisas positivas para falar! Sempre me tratou com muito respeito e humanidade”, comentou.

A doutoranda ainda relembra as paixões por música e artesanato, presentes em sua vida desde a infância. Mais recentemente, se dedica à culinária e à confeitaria, além de buscar novos desafios na área de fluidos. “Tudo é desafiador em fluidos! Desde a natureza do problema, até o linguajar”, comentou Julia. Mas, é exatamente esta paixão pelo desafio que a incentiva a buscar o próximo passo. Em breve, ela começa um pós-doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Leia também: ‘Conferência IMPA 70 anos’ reúne três medalhistas Fields
IMPA tem primeira defesa de tese no metaverso do Brasil