Navegar

Equações diferenciais podem explicar Romeu e Julieta

O Dia dos Namorados chegou e em todos os lugares só se fala de um tema: o amor. Quando lembramos de histórias de amor a primeira referência que nos vem à cabeça é a de “Romeu e Julieta”, o clássico do escritor inglês William Shakespeare, tão retratado e reinventado em peças teatrais e películas de cinema.

Embora não seja um romance com final feliz, e isso não é um spoiler, a história do casal adolescente que “morre” por amor inspira casais do mundo inteiro e tem tudo a ver com Matemática. Duvida?!

Um estudo realizado pelo matemático Taylor Israel, da Oklahoma Wesleyan University, nos EUA, mostra como o amor shakespeariano pode ser definido por equações diferenciais. Usando “Romeu e Julieta” como inspiração, o cientista conseguiu medir a taxa de variação dos sentimentos de Romeu e de Julieta ao longo de toda a trama, mostrado que, como tudo na vida, esse amor não é linear e para analisá-lo são necessárias inúmeras variáveis.

Essa não-linearidade dos sentimentos em qualquer relação amorosa faz com que nem o cientista mais experiente do mundo tenha conseguido encontrar a fórmula do amor, tão procurada pelos corações solitários.

Ficou com vontade de entender melhor como Romeu e Julieta ficaram juntos? Então leia o estudo e inspire-se! Quem sabe sua história pode ganhar novo rumo quando você calcular as diferenciais dessa relação? 

Para saber mais: