Navegar

15 de março de 2018, 18:45h

Unidades de Pesquisa do MCTIC repudiam homicídio de Marielle

As Unidades de Pesquisa (UPs) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) manifestam a mais profunda indignação pelo assassinato da vereadora Marielle Franco, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL-RJ).

Exigimos que todas as esferas do Estado sejam ágeis, criteriosas e transparentes no que diz respeito às investigações. É preciso punir com vigor ‒ e exemplarmente ‒ não só os executores, mas ‒ e principalmente ‒ os mandantes desse crime de lesa-pátria, ato de extrema desumanidade que ocorre pouco depois do Dia Internacional da Mulher.

Tudo indica que esse delito ‒ que põe em risco tanto a democracia quanto o estado de direito ‒ é uma manifestação de grupos marginais e retrógrados instalados no seio da sociedade brasileira e cujo objetivo principal parecer ser a instalação ou de um narcoestado, ou de um estado paramilitar em nosso país.

Isso é inadmissível.

Temos a certeza de que as causas e os ideais que a vereadora defendia ‒ em prol dos mais pobres e desamparados ‒ fomentarão uma sociedade mais justa e menos desigual para as futuras gerações de brasileiros.

Servidores, funcionários e alunos das Unidades de Pesquisa do MCTIC manifestam o mais profundo pesar aos familiares e amigos de Marielle.

#SomosMarielleFranco

Unidades de Pesquisa do MCTIC (15/03/2018)