Navegar

9 de agosto de 2018, 17:11h

Tese defendida no IMPA ganha Prêmio Carlos Gutierrez 2018

Quando o colombiano Plinio Murillo, 28 anos, deixou o país natal atraído pela excelência do ensino no IMPA, onde fez mestrado e doutorado, repetiu a trajetória de outro matemático latino-americano, o peruano Carlos Gutierrez (1944-2008).

Leia também: Na Turquia, uma vila para aprender a sonhar
‘Teríamos outra Matemática se víssemos além das três dimensões’
Mulheres: da desigualdade ao exemplo inspirador

Os dois não se conheceram, mas, simbolicamente, os caminhos deles acabaram de se cruzar: Plínio Murillo é o vencedor do Prêmio Professor Carlos Teobaldo Gutierrez Vidalon 2018, destinado à melhor tese em Matemática defendida no Brasil no ano anterior à premiação, nos quesitos originalidade e qualidade. 

Criado em 2009 pela direção do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), da Universidade de São Paulo (USP), a distinção homenageia o pesquisador peruano, que trabalhou no IMPA até 1999. Depois, atuou como professor titular no ICMC, onde contribuiu com a fundação e organização do grupo de pesquisa em Sistemas Dinâmicos.

Das dez edições do Gutierrez, que é apoiado pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), o IMPA conquistou oito.  

Murillo foi reconhecido por “On arithmetic manifolds with large systole”, sob orientação de Mikhail Belolipetsky. Na tese, foram estudados dois elementos geométricos –  os cumprimentos de curvas e o volume – em espaços que têm forte ligação com teoria dos números, chamados variedades aritméticas.

“O resultado principal é calcular a relação explícita entre o volume e o menor comprimento de uma curva fechada num tipo particular desses espaços”, detalha, contando que, desde cedo, gostou de combinar geometria e álgebra.

A notícia surpreendeu Murillo. “Foi uma grata surpresa! Fico muito feliz e agradecido aos responsáveis do prêmio por me conceder tamanha honra, que não é somente minha, mas de muitas outras pessoas que de uma ou outra forma tem-me ajudado ao longo desses anos”, declarou o pesquisador.

Belolipetsky festejou a premiação e observou que, apesar de saber que a tese de Murillo é muito boa, foi surpreendido por saber que ele disputava com outros trabalhos de excelência. “Foi uma boa surpresa”, disse, considerando que prêmios como o Gutierrez são importantes para a divulgação e a visibilidade do trabalho acadêmico. “Também podem ser úteis para jovens pesquisadores em sua carreira acadêmica”.

Diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana destacou a honraria. “O prêmio Gutiérrez já se tornou uma das principais distinções de nosso cenário acadêmico. Estamos muito contentes com este importante reconhecimento da qualidade do trabalho realizado pelo Plínio na sua tese, orientado pelo Misha Belolipetsky”.

Como não esperava ser premiado, Murillo, que está no Rio para o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM) 2018, precisou adiar o retorno para Suíça, onde faz pós-doutorado. A cerimônia será no dia 27 de agosto, às 14 horas, no auditório Fernão Stella Rodrigues Germano do ICMC/USP, em São Carlos.