Navegar

12 de dezembro de 2018, 13:22h

Projetos de divulgação científica ganham apoio do Serrapilheira

Grupo de divulgadores de ciência no Camp Serrapilheira, no Museu do Amanhã

Selecionados participaram de evento no Museu do Amanhã. Filipe Costa/ Agência Rastro

Como aproximar o pensamento científico da criatividade e fomentar a colaboração entre diferentes áreas? Este é o desafio proposto pelo Camp Serrapilheira. O programa, que apoia novas formas de divulgar ciência, anunciou hoje os 14 projetos que serão financiados pelo Instituto Serrapilheira.

Cada iniciativa receberá até R$ 100 mil, por um ano. Os contemplados passaram por duas seleções. Na primeira fase, 50 projetos foram escolhidos, entre os 871 que atenderam a uma chamada pública, para participar de um evento de 4 dias no Museu do Amanhã, no Rio. Na ocasião, eles acompanharam palestras e workshops com divulgadores científicos internacionais. Depois do aprendizado no evento, os participantes foram convidados a enviar seus projetos para concorrer ao financiamento.

Leia também: Cubano Bely Morales defende tese sobre álgebras de vértices
Pesquisador do IMPA ganha bolsa do Serrapilheira 
Finalista do Prêmio VEJA-SE criou projeto de Matemática

Além da inovação, a diversidade é uma marca dos 14 selecionados: as iniciativas estão em curso em sete diferentes estados do Brasil, possuem focos variados – projetos audiovisuais, artísticos, educacionais, jornalísticos e acadêmicos – e são tocadas por quem está dando os primeiros passos na área ou já trilhou um caminho, promovendo a necessária ampliação de olhares sobre temas essenciais para o desenvolvimento do país. Na seleção, buscou-se também identificar iniciativas com potencial de incentivar o interesse dos jovens pela área.

Um dos projetos escolhidos, o Data 14, da jornalista Sabine Righetti, colaboradora da Folha de S. Paulo, pode ampliar a cobertura sobre a produção científica nacional.  Ela vai criar um portal para divulgar pesquisas realizadas no Brasil, com foco nos jornalistas. 

Outro selecionado foi o Projeto Cosmos, que surgiu para mostrar a estudantes de escolas públicas do Amazonas quão interessante são as disciplinas relacionadas à Astronomia, como a Matemática. Criado por Carlla Vicna, graduanda em Engenharia da Computação, junto com outros universitários, a iniciativa trabalha os conteúdos de forma multidisciplinar. 

“Com esses novos perfis, queremos criar uma rede de divulgadores comprometidos com o princípio de excelência”, afirma a diretora de Divulgação Científica do Serrapilheira, Natasha Felizi, no release sobre o anúncio dos escolhidos. “A ideia é que eles trabalhem com cientistas jovens, de ponta, que atuam na fronteira dos seus campos de conhecimento e, ao mesmo tempo, que os pesquisadores apoiados pelo instituto tenham acesso a uma nova maneira de falar sobre ciência.”

Assim como já faz com os projetos de pesquisa que financia, o Serrapilheira oferece flexibilidade e desburocratização no uso dos recursos, para tornar o financiamento à divulgação científica mais acessível para além de instituições de pe

37 Graus – Sarah Azoubel

Biblioscópio – Fernanda Diamant

Ciente – Hugo Fernandes

Cientista Beta – Kawoana Viana

Computação sem Caô – Ana Carolina da Hora
Data 14 – Sabine Righetti

DDC-UFMG – Yuri Castelfranchi

De Olho nos Corais – Guilherme Longo

Gênero e Número – Giuliana Bianconi

Nexo Jornal – José Orenstein

Numinalabs – Rafael Bento

Projeto Cosmos – Carlla Vicna

Silo – Cinthia Mendonça

Sonora – Luisa Puterman

Leia também: Biênio aproximou mais a sociedade e a Matemática
Com a OBMEP, trimedalhista de Minas tornou-se autoconfiante
IMPA abre vaga em Matemática Aplicada