Navegar

13 de novembro de 2018, 14:10h

O herói matemático do quadrinista Stan Lee

 

A morte do quadrinista norte-americano Stan Lee, 95, na última segunda-feira (12), deixou o mundo geek de luto. Criador de super-heróis inesquecíveis, como Homem-Aranha, Hulk, Thor, Homem de Ferro e a turma do X-Men, Lee também gostava de mostrar os superpoderes dos seres humanos.

Em 2010, ele produziu a série “Os Super-Humanos de Stan Lee”, para o canal History Channel. Apesar de ter apenas três temporadas e 31 episódios, o programa foi um sucesso ao mostrar casos de seres humanos que evoluíram de maneira diferente em relação às mudanças físicas e mentais normais do homem comum.

Leia também: OBMEP realiza o Encontro do Hotel de Hilbert
IMPA recebe visita de diretor do Instituto Federal de Campos
Matemática, a ciência que nada sabe de observação

Logo no episódio de estreia, Lee mostrou ao mundo a história de Scott Flansburg. Chamado de “calculadora humana”, o norte-americano de San Diego é capaz de fazer cálculos aritméticos complexos de cabeça numa velocidade surpreendente.

Este “superpoder” rendeu a Flansburg espaço no Livro dos Recordes por sua velocidade de cálculo mental e o levou a se tornar anfitrião e embaixador do Dia Mundial da Matemática, comemorado sempre em 14 de março, também conhecido como Dia do Pi.

 

 

Vida e obra

Stanley Martin Lieber nasceu em 1922 e começou a trabalhar em HQs aos 17 anos, sob o pseudônimo de Stan Lee, na Timely Publications.

Acabou se tornando um dos nomes mais importantes dos quadrinhos ao criar super-heróis como Homem-Aranha, Thor, Hulk, X-Men, Pantera Negra, Homem de Ferro, Doutor Estranho e Demolidor.

Lee foi roteirista, editor-chefe e presidente da Marvel e um dos responsáveis por transformar a empresa na maior editora de quadrinhos do mundo a partir da década de 1960. Tudo isso porque teve a iniciativa de modernizar o gênero de heróis para um público mais velho. Essa “revolução” começou no lançamento de “Quarteto Fantástico” (1961).

Os quadrinhos de Lee investem em dramas familiares com diversos elementos de ficção científica. Os personagens são heróis imperfeitos, complexos e realistas. Características que ajudam a identificação com o público. E talvez expliquem o sucesso da Marvel.

Leia também: Serrapilheira abre inscrições para apoio à pesquisa científica
Entre o distrito de Lagoa da Cruz (PB) e o Canadá, a Matemática
Programas temáticos podem receber até R$ 200 mil