Navegar

24 de maio de 2017, 17:46h

"Matemática é fonte permanente de desafio"

Um dia, um estudante de Alagoas, entediado com a Matemática, conheceu um professor que ensinava de forma instigante e desafiadora. O ânimo do garoto com a disciplina mudou, ele se tornou, aos 19 anos, o mais jovem doutor da história do IMPA e hoje é pesquisador de uma instituição igualmente de ponta, na França. A história foi contada pelo diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana, à TV Escola.

Convidado do programa “Salto para o Futuro”, que, recentemente, abordou o tema “Matemática não é só problema”, Marcelo citou o episódio para mostrar quão determinante é o papel do docente para a melhoria do desempenho do aluno: “O professor tem que ter um pouco o papel de entretenimento, de capacidade para atrair seu público. E isso exige um pouco de vocação, mas também de formação e treinamento, capacidade para saber o que vai ensinar e colocar isso em sala de aula de maneira divertida e atraente.”

No Brasil, porém, há uma desvalorização do professor, segundo Marcelo. E, isso, além de fatores como formação inadequada, carência de infraestrutura escolar e condição socioeconômica deficiente, contribui para amargarmos índices ainda críticos no aprendizado da Matemática. Ainda assim, avaliou, na presença de um bom professor, os prejuízos causados pelos outros obstáculos podem ser minimizados: “Os resultados aparecem mesmo quando as condições socioeconômicas são ruins, e a escola não está bem equipada”, disse, observando que a OBMEP tem inúmeros medalhistas de cidades muito pobres, com IDH muito baixo. “Matemática não tem nada a ver com decoreba de fórmulas. É uma fonte permanente de desafios”, destacou o diretor-geral do IMPA.

Também entrevistado do programa, o estudante Antônio Azevedo sabe o quanto a forma lecionar pode fazer a diferença. Na 7ª série, conheceu um professor que o ajudou a abrir os olhos para a Matemática e, depois disso, ele passou a enxergar a disciplina de forma diferente. Decidiu se inscrever na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), em 2015, e levou uma medalha de prata por seu desempenho.

Acesse o link e assista, na íntegra, esta edição do programa “Salto para o Futuro”: goo.gl/W6Wnt4