Navegar

4 de agosto de 2018, 21:21h

Lesson study: aprendendo a ensinar

O último painel do dia abordou a preparação dos professores para o ensino da Matemática. Cinco palestrantes trouxeram as experiências de seus países com o Lesson Study (estudos de aula). A palestra fez parte do ciclo de debates para a popularização da disciplina, do Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018).

O Lesson Study é um processo no qual os professores se reúnem para planejar, observar e refletir em conjunto sobre a técnica da sala de aula e os planos de aula, a fim de melhorar o desempenho dos alunos. O método é centrado em dois pilares: o desenvolvimento profissional e o protagonismo do estudante.

Leia também: Voluntariado dentro e fora do Riocentro
Matemática também é cultura e pode ser divertida
‘Não tenham a mente fechada’, recomenda Coifman a jovens

Especialista no tema, o professor japonês Akihiko Takahashi avaliou que a escola deve ser um lugar onde não somente o aluno, mas também o professor aprende. O Lesson Study  “é uma oportunidade para o professor estudar sobre o processo de dar aula”. 

Para Maitree Inprasitha, da Tailândia, a estratégia é engajar os alunos para que eles sejam ativos em seu aprendizado e tenham consciência de seu processo de aquisição de conhecimento. Na China, segundo Rongjin Huang, há um eficiente programa de carreira para professores, com metas muito específicas que devem ser atingidas. “São parâmetros claros, tanto acadêmicos, quanto práticos”.

Em Malawi, o Lesson Study ainda está em desenvolvimento e enfrenta muitos desafios, já que o ensino da disciplina no país não é bom, de acordo com a professora Mercy Kazima. “Temos professores e educadores de professores. Discutimos formas de desenvolvimento profissional, de como trabalhar em equipe para aprender a ensinar Matemática”, explicou.

Na plateia, estava a professora do Departamento de Matemática da Universidade Federal de São Carlos (SP), Yuriko Yamamoto Baldin, que pesquisa os preceitos do método há dez anos. “No Brasil, há uma necessidade de se mudar o paradigma do professor, porque os alunos aqui não aprendem.  A aula de Matemática deve ser pensada para o aluno. Quando um professor aprende a forma como um aluno aprende, esse professor aprende a ensinar”, concluiu