Navegar

4 de agosto de 2018, 13:39h

Young apresenta aplicações dos sistemas dinâmicos

As aplicações dos sistemas dinâmicos e a evolução do campo foram discutidos na palestra da matemática chinesa Lai-Sang Young, que aconteceu na manhã deste sábado (4) no Congresso Internacional dos Matemáticos (ICM 2018). A pesquisadora é professora de Matemática e neurociências no Courant Institute of Mathematical Science da Universidade de Nova York.

Young apresentou a transversalidade de seu trabalho com diversas áreas, como teoria ergótica, propriedades estatísticas e geometria, doenças infecciosas e a dinâmica nas neurociências para dar uma percepção da diversidade e riqueza dos sistemas dinâmicos e todas as possibilidades que seus estudos podem abraçar. “Nos últimos cem anos, as pesquisas em sistemas dinâmicos floresceram, amadureceram e se consolidaram”, disse.

Leia também: Sun-Yung Alice Chang recebe prêmio Emmy Noether
TV curda mostra o orgulho da família de Caucher Birkar 
Orientador de vencedor da Fields comemora medalha

A partir da década passada, a especialista passou a se interessar pela aplicação dos sistemas dinâmicos à biologia e reportou seus achados em duas áreas. Uma delas é a neurociência. “Em primeiro lugar, devo lembrar que o cérebro é um sistema dinâmico, um grande e complexo sistema dinâmico estruturado em uma rede de neurônios que sofrem muitos processos biofísicos e bioquímicos. Portanto, a interação dinâmica é uma parte integral de como o cérebro trabalha”.

Mas que tipo de coisa podem os matemáticos fazer a respeito do cérebro? Para a neurociência, por exemplo, pode-se criar modelos computacionais do córtex visual primário. Já por meio da biomatemática é possível extrair ideias e fenômenos que podem ser transformados em conceitos matemáticos.   

Young também abordou o uso dos sistemas dinâmicos para a contenção de doenças infecciosas. Segundo ela, o isolamento de pessoas infectadas só é eficiente quando feito imediatamente após a infecção e de forma completa (todos os infectados são isolados da população saudável, mas também entre eles). A possibilidade, no entanto, não é realista, pela dificuldade de infraestrutura (custos, pessoal para atender, moradia). A pesquisadora apresentou os resultados de um estudo teórico que pretende quantificar o mínimo de recursos necessários para conter um surto e prever as consequências quando falha a contenção de indivíduos.

Ao concluir sua fala, a pesquisadora afirmou vislumbrar um futuro cheio de possibilidades para o campo dos sistemas dinâmicos, por estarem conectados com muitos setores da Matemática e das ciências. “Conclamo meus colegas para abraçar esse desafio”.