Navegar

9 de agosto de 2018, 12:43h

Inspirado em Ramanujan, Math Park abre os 365 dias do ano

Há um lugar na zona rural de Kuppam, no Sul da Índia, onde todos os 365 dias do ano é possível estar em plena conexão com a Matemática. Criado em dezembro de 2017, o Ramanujan Math Park é movido pelo desejo de mostrar para pessoas de todas as idades e estratos econômicos e sociais quão interessante, viva e fundamental ela é. Desde então, mais de dois milhões de crianças já visitaram o espaço.

Leia também: Radford aborda a Matemática sob a ótica do construtivismo
‘Teríamos outra Matemática se víssemos além das três dimensões’
Medalhista Chern apresenta estudo no ICM 

Inspirado no matemático indiano Srinivasa Ramanujan (1887-1920), o parque promove o aprendizado por meio da interação, com materiais lúdicos, exposições e livros-textos, e aposta na conexão entre a matemática e outras áreas do conhecimento, como música, engenharia e astronomia.

Presente ao Congresso Internacional de Matemáticos (ICM) 2018, onde participou do painel “Museus de Matemática: uma explosão mundial”, a pesquisadora da Universidade de British Columbia, no Canadá, e cofundadora do parque, Sujatha Ramdorai, contou que há cerca de uma década, quando participava de uma comissão governamental na área de educação se deu conta de como ela, assim como os pesquisadores, de maneira geral, desconheciam o dia a dia nas escolas.

“Percebi, no contato que passei a ter com estudantes e professores, como eu, cientista, e por isso situada em um lugar privilegiado, estava desconectada de certa realidade. Em geral, reclamamos do desempenho dos estudantes, mas constatei que se não nos envolvermos de alguma forma esse problema não será resolvido. Estamos perdendo muitas crianças e adolescentes que poderiam amar matemática, ser ótimos professores, grandes comunidades da matemática”, avaliou a pesquisadora.

Assim surgiu o Math Park, parceria com a Agastya International Foundation – que distribui mobile labs em instituições de ensino da zona rural da Índia -, a Gyanome Foundation, a Imaginary e a SBI Funds Mangement Private Ltda. A escolha do nome parque foi proposital, para associar matemática a um espaço vivo cheio de vida, disse.

“Queremos que as pessoas cheguem lá e vejam o quanto a Matemática é útil, está em todo lugar, é interessante e está por trás de grandes avanços na tecnologia, por exemplo”, observou a pesquisadora, ganhadora do prestigioso Ramanujan Prize, em 2006.

Surpreendentemente, segundo ela, ainda há pessoas que duvidam da importância da disciplina. “Um aluno meu pediu que eu conversasse com os pais dele porque eles achavam que o filho estava equivocado ao decidir abraçar a matemática profissionalmente”, relatou, destacando a importância de ações que desmistifiquem a disciplina.

Para que, enfatizou, é fundamental o envolvimento de quem elabora as políticas públicas.  “O importante é comunicar à sociedade que a matemática é algo vivo, animado, talvez difícil, mas se você quer ser bem-sucedido na vida em algo, tem de correr atrás. Nada na vida é graça”, pontuou.