Navegar

18 de fevereiro de 2019, 12:03h

Inglês usa os pés e a Matemática para transformar neve em arte

Simon Beck mostra uma fotografia de infância com uma cena corriqueira para quem nasceu e cresceu em Londres: bem agasalhado e de botas, brinca na neve. Aos 60 anos, graduado em Engenharia pela Universidade Oxford, ainda é possível encontrá-lo com muita frequência em cenários semelhantes, na cidade natal e em países afora, onde deixa a sua arte, efêmera e matemática. 

“Amo neve. E formas geométricas”, diz Beck, na palestra TED em que revela como passou da cartografia e das corridas de orientação para a arte na neve.  Demorou uma década entre a estreia – o desenho de uma estrela de cinco pontas – e a decisão de levar a brincadeira a sério e transformá-la em meio de vida. 

Leia também: Jacob Palis conquista o Spirit of Abdus Salam Award 2019
Mulher semilendária, Hipátia foi a primeira matemática
IMPA abre vaga em Matemática Aplicada

De dimensões gigantescas, os trabalhos chegam a 150 metros e impressionam pela precisão e riqueza de detalhes. Boa parte das centenas de desenhos são figuras geométricas, que ele faz surgir ao palmilhar a neve.  Do floco de neve de Koch ao Triângulo Sierpisnki, passando pelo Conjunto de Mandelbrot, há Matemática para todos os gostos. 

O processo, diz ele, é simples: fotografa o local onde pretende fazer a arte, imprime, rascunha sobre ela o desenho que deseja realizar e parte para o campo, ou melhor, para os lagos congelados. Usa apenas uma bússola especial e os pés, devidamente protegidos por botas.  Assim, faz surgir padrões matemáticos após longos períodos de caminhada. Fácil, fácil ultrapassa a marca de dez horas de trabalho.

Aqui e ali, Beck deixa as figuras matemáticas para se aventurar por outros desenhos, como os alienígenas do saudoso Space Invaders, da Atari, ou a réplica do Memorial de John Lennon, em Nova York. Às vezes, adiciona frases à arte, para lembrar questões globalmente relevantes, como o Protocolo de Kyoto, tratado internacional que objetiva reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento no planeta.

Sempre munido de uma máquina fotográfica, registra as artes logo após concluí-las, antes que um esquiador desavisado passe por cima. Após anos de prática na neve, Beck começou a trabalhar na areia.  Confira, na palestra TED, mais sobre as peculiares obras do artista inglês.

Leia também: Rigor de Flexner levou medicina americana ao topo
IMPA abre chamada pública de bolsas de pesquisa