Navegar

27 de dezembro de 2017, 10:25h

Grigori Perelman - Gênio invisível

Grigori Yakovlevich Perelman nasceu em São Petersburgo (Rússia) em 1966. Seu talento matemático tornou-se aparente aos dez anos de idade.

Em 1982, conseguiu A pontuação perfeita e ganhou uma medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) representando a equipe da União Soviética. Em 1994, ele provou a conjectura da alma de Cheeger e Gromoll. Mas a fama do matemático russo ocorreu especialmente depois que ele resolveu a Conjectura de Poincaré em 2002-2003. Desde a sua formulação em 1904, a Conjectura de Poincaré consumiu muito “poder cerebral” em matemática.

Leia também: OBM 2017 divulga vencedores e anuncia testes para o time Brasil

Pesquisador do IMPA ganha bolsa do Serrapilheira

OBMEP inspira e capacita professores

A solução causou agitação na comunidade científica. Perelman, no entanto, se recusou a aceitar qualquer prêmio para a solução de Conjectura de Poincaré, incluindo o US$ 1 milhão oferecido pelo Clay Mathematics Institute para aqueles que resolveram qualquer um dos sete “Problemas do Milênio”.

Em 2006, um comitê de nove matemáticos votou para premiar Perelman com uma Medalha Fields. Jonh Ball, presidente da União Matemática Internacional, se aproximou de Perelman para persuadi-lo a aceitar o prêmio. Após 10 horas de tentativa de persuasão durante dois dias, Ball desistiu.

Perelman não foi o primeiro a recusar a Medalha Fields. Ele faz parte de um pequeno grupo de cientistas, incluindo Alexander Grothendieck, que declarou questões pessoais para não receber o prêmio mais alto na comunidade de matemática. “Eu não quero estar em exibição como um animal em um zoológico. Eu não sou um herói da matemática “, disse Perelman.

Leia também: Aplicativo do Biênio alia informação e entretenimento

Bolsas de estudo em memória de Maryam Mirzakhani

Em visita ao IMPA, grupo pede provas da OBMEP em Libras