Navegar

24 de janeiro de 2019, 09:02h

Gregory Lawler e Le Gall dividem o Wolf Prize 2019

Gregory Lawler, da Universidade de Chicago

Os matemáticos Gregory Lawler, da Universidade de Chicago, e Jean-François Le Gall, da Universidade Paris-Sud, são os vencedores do prestigioso Wolf Prize 2019, em reconhecimento às pesquisas desenvolvidas em probabilidade e nos campos estocásticos.
Desde 1978 concedido anualmente pela Fundação Wolf, o prêmio homenageia pesquisadores importantes nas áreas de agricultura, química, Matemática, física, medicina e artes. Os ganhadores recebem US$ 100 mil, entregues na cerimônia de premiação, que acontecerá em maio em Jerusalém (Israel).

Leia também: 23 dos 76 aprovados na Unicamp têm medalhas da OBMEP e OBM
Números primos de Mersenne, visando o infinito
Por que a descoberta do maior número primo importa?

O norte-americano Lawler é professor de Matemática e Estatística do George Wells Beadle Distinguished Service. O francês Le Gall trabalha na Universidade Paris-Sud, em Orsay. Segundo a Fundação Wolf, o trabalho dos matemáticos “se tornou o trampolim para muitos avanços consequentes”.
Este é o segundo ano seguido que acadêmicos de Matemática da Universidade de Chicago são agraciados com o Wolf Prize. Em 2018, Alexander Beilinson e Vladimir Drinfeld receberam o prêmio pelo trabalho inovador na área de geometria algébrica.
Para Lawler, docente da Universidade de Chicago desde 2006, o prêmio reconhece os avanços no campo da probabilidade nos últimos 40 anos. Estes avanços tornaram a probabilidade mais acessível em questões que exigem rigor matemático.
Autor e coautor de seis livros, Lawler é membro da Academia Americana de Artes e Ciências, da Sociedade Americana de Matemática, da Fundação Alfred P. Sloan e do Instituto de Matemática e Estatística. Em 2006, recebeu o Prêmio George Pólya, da Sociedade de Matemática Aplicada e Industrial.
Um dos conceitos que Lawler estuda é conhecido como “passeio aleatório”, que descreve como um objeto se move em uma série de passos aleatórios em qualquer direção. Esses “passeios aleatórios” são úteis na modelagem do comportamento de um átomo em uma nuvem de gás ou da disseminação de uma epidemia. O conceito é aplicado ​​em biologia, meteorologia, química e economia, entre outros campos.

Jean-François Le Gall. Crédito: Benoît Rajau/CNRS

Biografias

Nascido em 1955 em Alexandria, no Estado da Virgínia (EUA), Lawler cursou Matemática na Universidade da Virgínia. Concluiu o doutorado em 1979, na Universidade Princeton e lecionou nas Universidades de Duke e Cornell. Foi editor-chefe do Annals of Probability (2006-2008), editor do Journal of American Mathematical Society (2009-2013) e cofundador do Electronic Journal of Probability (1995). Atuou como palestrante no Congresso Internacional de Matemáticos (ICM) em Pequim (2002) e como plenarista no ICM 2018, no Rio.
Jean-François Le Gall, que nasceu em 1959 em Morlaix (França), atua na área de teoria da probabilidade, com foco em trabalhos sobre movimento browniano, processos Lévy, superprocessos e suas conexões com equações diferenciais parciais. Doutor em Matemática pela Université Pierre-et-Marie-Curie – Paris VI, ele recebeu os prêmios Rollo Davidson (1986), Loève (1997) e Fermat (2005). Foi, também, orientador de Werner Wendelin, Medalha Fields em 2006.

Leia também: Ciência ‘inútil’ revoluciona nosso dia a dia
Descoberto número primo com quase 25 milhões de dígitos
Alan Turing é eleito o cientista do século 20 em pesquisa da BBC