Navegar

15 de dezembro de 2017, 09:36h

Georg Cantor (1845-1918) - Pai do infinito e do ICM

Filho de dinamarqueses, o matemático Georg Cantor é um dos criadores do Congresso Internacional de Matemáticos (ICM) ao lado de Felix Klein. Nascido na Rússia em 1845, emigrou com a família para a Alemanha na infância. Especialista em teoria dos números, no final do século 19 elaborou a moderna teoria dos conjuntos que lhe abriu as portas para ampliar as fronteiras da Matemática e definir o conceito de infinito.

Leia também: Modelo matemático para compreender células de melanoma
Curiosidades do ICM | A primeira carta é inesquecível
Túnel do tempo: Emmy Noether conclui Ph.D em Matemática

Sua teoria revolucionária gerou enormes embates e animosidades entre os matemáticos da época. Por ser muito ligado à religião, Cantor era visto com maus olhos pela comunidade matemática e sofreu boicotes. Trabalhando sozinho, demonstrou que alguns conjuntos de infinitos poderiam ser mais infinitos que os outros e os chamou de ‘alef zero’.

Perseguido e criticado por sua tese, teve a saúde mental comprometida. Tempos depois, seus métodos foram assimilados e se mostraram perfeitamente práticos e úteis. Reconhecido, foi nomeado membro honorário da London Mathematical Society e homenageado com a medalha da Royal Society of London. David Hilbert (1862-1943), um de seus poucos defensores, afirmou: “Que ninguém seja capaz de nos tirar do paraíso que Cantor criou para nós”. Perturbado pelas perseguições, morreu aos 72 anos, em uma clínica psiquiátrica na Alemanha.