Navegar

7 de agosto de 2018, 18:13h

"Frontman" da matemática, Cédric Villani dá autógrafos

Bastou Cédric Villani despontar no portão do Pavilhão 2 do Riocentro para que uma extensa fila se formasse no estande do IMPA nesta terça-feira (7). Todos queriam um autógrafo, uma foto e dois dedos de prosa com o matemático pop, vencedor da Medalha Fields em 2010. Villani fez jus ao apelido e recebeu atenciosamente cada visitante que o prestigiou na sessão de autógrafos do ICM 2018.

“Em Matemática, você está, na maior parte do tempo, sozinho. O que eu mais gosto em sessões como essa é encontrar pessoas tão diferentes, de diversos lugares e idades”, comentou o francês, eleito deputado no ano passado pelo partido do presidente Emmanuel Macron.

Leia também: ‘Em questões além da intuição, deixe a Matemática falar’

Professores trocam experiências de popularização da Matemática

Cédric Villani: ‘O que há de tão atraente na Matemática?’

Como de costume, seu terno elegante, adornado com laço de seda e o peculiar broche de aranha, atraía as atenções. Volta e meia um dos adolescentes de escolas públicas do Rio de Janeiro, convidados à palestra aberta do japonês Tadashi Tokieda, perguntava quem era Villani e, em seguida, fazia a fila crescer.

“É muito importante para abrir a cabeça e o caminho deles”, defendeu Cícero Avelino, professor do Colégio Estadual Matemático Joaquim Gomes de Souza, em Niterói. Fundada há três anos, foi a primeira escola pública do Brasil com foco em ciências exatas. “Quando convivem com pessoas que mudaram suas vidas por meio da Matemática, eles percebem que a área vai muito além do que veem no dia a dia”, afirmou o docente.

É o que a voluntária Ana Silva escolheu redescobrir por toda a vida. Mestranda em Matemática na Universidade Federal Fluminense (UFF), ela chegou cedo para garantir o encontro com Villani. “O sonho de todo matemático é ganhar uma Medalha Fields, então é uma honra estar perto dele”, encantou-se a estudante.

O paraguaio Álvaro Barrios, intercambista de graduação na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), conta que a admiração por Villani vem de longa data: “Eu não conhecia o trabalho que o levou à Fields [equações diferenciais parciais], mas já tinha visto os vídeos de todas as suas palestras na internet.”

Com personalidade única e o desenho de um Marsupilami (personagem de história em quadrinhos) ao fim de cada assinatura, o matemático pop, sem dúvidas, arrebatou mais seguidores e futuros divulgadores da “poesia das ciências” nesta tarde.