Navegar

30 de agosto de 2017, 17:06h

Felipe Ferreira Gonçalves recebe Prêmio Gutierrez 2017

 

O trajeto foi longo, mais de 10 mil quilômetros, mas o carioca Felipe Ferreira Gonçalves, mestre e doutor pelo IMPA e professor assistente da University of Alberta, em Edmonton, no Canadá, tinha uma excelente motivo para percorrê-lo: receber o Prêmio Gutierrez 2017, destinado à melhor tese em Matemática defendida no Brasil e concedido pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

A solenidade de premiação, aberta pelo diretor do ICMC, Alexandre Carvalho, foi realizada na segunda-feira (28), no auditório Professor Fernão Stella de Rodrigues Germano, na própria instituição, em São Carlos, durante o VII Workshop de Teses e Dissertações em Matemáticas. 

Felipe foi agraciado pela tese Extremal Problems, Reconstruction Formulas and Approximations of Gaussian Kernels, orientada pelo pesquisador do IMPA Emanuel Carneiro. O trabalho apresenta contribuições inéditas nas áreas da Análise Harmônica e Complexa e tem aplicações na Teoria da Aproximação, na Teoria Analítica dos Números, na Análise Funcional e em Probabilidade.  Com exceção da edição de 2014, as teses premiadas com o Gutierrez desde 2011 são de doutores do IMPA.

 

Após receber o prêmio, o professor Sérgio Luis Zani, presidente da Comissão de Pós-graduação do ICMC fez uma introdução sobre o trabalho do carioca, que, logo em seguida, detalhou os principais pontos de sua pesquisa de doutorado na palestra “Problemas extremais e fórmulas de interpolação”.

Durante a apresentação, Felipe discutiu um problema na Teoria da Aproximação, inicialmente estudado por Beurling e Selberg, e que possui várias aplicações na Teoria dos Números: dada uma função g(x), como encontrar uma outra função F(x), com transformada de Fourier suportada num conjunto limitado prefixado, de forma que F(x) esteja o mais próxima possível (em alguma norma) de g(x). Além disso, discorreu sobre as fórmulas de interpolação necessárias para estudar este tipo de aproximação e suas conexões com a teoria de Fourier Frames, Sampling e Interpolação.

Ao saber da premiação, Felipe, que já visitou várias universidades nos Estados Unidos e na Europa, ressaltou a estrutura do mestrado e doutorado do IMPA, assim como a qualidade das aulas e dos professores. “É excepcional e está entre as melhores do mundo. O lema primordial do Instituto sempre foi a excelência em todos os aspectos da formação acadêmica. Vejo o IMPA como a minha segunda casa no Brasil”, afirmou, considerando que os eventos do Biênio da Matemática, como o Congresso Mundial de Matemáticos em 2018, trarão ainda mais reconhecimento para a Matemática brasileira e para o IMPA. 

Além da tese de Felipe, o trabalho Decomposição de Grafos em Caminhos, do recifense Fábio Happ Botler, recebeu menção honrosa. Com graduação e mestrado na Universidade Federal de Pernambuco, ele fez doutorado no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP, com orientação da professora Yoshiko Wakabayashi e é professor da Universidad de Chile.