Navegar

31 de julho de 2018, 16:44h

Faculdade no Chile cria Diretoria de Diversidade e Gênero

 

Em maio deste ano, a Faculdade de Ciências Físicas e Matemáticas da Universidade do Chile criou a Diretoria de Diversidade e Gênero, que tem como objetivo garantir a equidade de homens e mulheres entre os professores. A ideia é, em pouco tempo, aumentar a presença feminina entre os docentes da FCFM, que atualmente é de 17%.

A nova diretoria é chefiada pela engenheira civil matemática Salomé Martínez, que nesta terça-feira, 31, fez uma apresentação no Encontro Mundial para Mulheres em Matemática, evento satélite do Congresso Internacional de Matemáticos, que começa amanhã e vai até 9 de agosto, no Riocentro.

Leia também: Projeto pioneiro da UFF informa sobre mulheres cientistas
Minuto de silêncio homenageia Maryam Mirzakhani
‘Diversidade é respeitar os diferentes olhares matemáticos’

Salomé mostrou números que mostram a baixa presença de mulheres entre professores e alunos dos vários departamentos da faculdade, em especial o de Engenharia Matemática, onde ela leciona. Apenas 8,3% dos professores em tempo integral são mulheres. A presença de alunas é de 7,4%. A maior presença de professoras é no Departamento de Engenharia Química, Biotecnológica e de Materiais, com 38%. Entre as alunas, a maior proporção é na Engenharia Industrial, com 25%.

“Nossa intenção é gerar conhecimento sobre a participação da mulher, com enfoque científico, e não atuar apenas com base em experiências pessoais. Vamos nos associar a especialistas em ciências sociais, que nos ajudarão a fazer o diagnóstico e a entender a falta de diversidade. O Chile, como muitos outros países, teve avanço na questão de gênero, mas ainda é patriarcal e machista. Muito poucas mulheres têm cargos de direção nas grandes empresas e também nas universidades”, afirmou a pesquisadora.

Salomé apresentou resultados de uma pesquisa que mostra que, no Chile, 50% dos pais esperam que os filhos sigam carreira na área de STEM, sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, enquanto apenas 16% têm a mesma expectativa em relação às filhas.  

A professora fez a palestra “Equações de reação-difusão, dinâmica populacional e de gênero”, onde apresentou também outra linha de estudos a que se dedica: a matemática aplicada à ecologia, com estudo sobre crescimento e interação das espécies.