Navegar

Cometa Halley e a Matemática dos Sistemas Dinâmicos

 

Na década de 1980, tempos antes da passagem do Halley, uma missão espacial de reconhecimento do cometa quase foi por água abaixo por causa de cortes orçamentários. Matemáticos, então, entraram em ação: usaram conhecimentos da área de Sistemas Dinâmicos e estabeleceram uma trajetória mais econômica em termos de consumo de combustível. Com isso, a sonda finalmente foi lançada em direção ao cometa, e a missão foi um sucesso.

Quem conta a história é o diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana, especialista em Sistemas Dinâmicos, para mostrar com esse conhecimento teórico é aplicado na prática. Na entrevista concedida ao projeto “A Ciência que eu Faço”, coordenado pela jornalista Vera Pinheiro, do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), ele dá mais detalhes sobre sua área de estudos:

“O que a gente faz é estudar fenômenos que vão evoluindo ao longo do tempo. Eles podem, em muitos casos, ser descritos por meio de equações, e o que a gente quer é resolver essas equações para poder prever como é que o fenômeno vai evoluir, e, em alguns casos, controlar essa evolução. O trabalho que a gente faz no Impa nessa área tem um grande reconhecimento internacional, sobretudo no nível teórico. Analisamos questões gerais, como essas equações podem ser resolvidas, quando e de que forma. Não lidamos diretamente com aplicações concretas. Mas elas são inúmeras”, diz Marcelo.

Confira a íntegra da entrevista em http://goo.gl/zEPQHg