Navegar

6 de fevereiro de 2019, 11:04h

Carlos Chávez descobre a beleza da função zeta de Riemann

A personagem Dorothy, de “O Mágico de Oz”, imortalizou a frase “Não há lugar como o nosso lar”. Se a sentença não tivesse ficado famosa há 80 anos neste clássico do cinema, bem que poderia ser atribuída a Carlos Andrés Chirre Chávez, aluno de doutorado do IMPA. Nesta quinta-feira (7), o estudante peruano defenderá sua tese — com transmissão ao vivo no YouTube do IMPA —, mas não vê a hora de retornar a Lima, a capital peruana, sua cidade natal.
A pressa em voltar para casa não tem muito a ver com saudade, mas com o compromisso de devolver a seu país o conhecimento que adquiriu no IMPA, de forma a contribuir para o fortalecimento da Matemática do Peru.

Leia também: Inscrições para a OBMEP 2019 começam nesta terça-feira (5)
Indicações ao Prêmio SBM se encerram em 28 de fevereiro
Preso do interior de SP ganha medalha de ouro na OBMEP

“Acho bom que nós, que estudamos fora, possamos voltar, já capacitados, para tornar nosso instituto de Matemática [IMCA] maior. É uma forma de devolver o que fizeram por nós”, afirma.
Mas não pense que deixar o Brasil será uma tarefa fácil para ele. Apaixonado pelo verde do Rio de Janeiro e a natureza que rodeia o IMPA, Chávez viajará com o coração apertado. “Fiz muito amigos aqui. Fico triste em voltar, mas guardarei recomendações muitas.”
Aluno do pesquisador titular Emanuel Carneiro, o peruano é uma “cria” do Curso de Verão do IMPA. “Sempre tive o ‘bichinho’ de querer vir estudar aqui”, conta. Para ele, a passagem pelo clássico curso foi muito além do aprendizado teórico. O fator motivacional fez com que se apaixonasse pelo instituto e desejasse voltar. 
“Vir a um centro mundial de Matemática relevante, conhecer professores importantes e fazer cursos fortes foram fatores motivadores. É uma experiência que ficará para sempre. Aprendi demais.”
O empurrão que faltava foi a presença de Carneiro na defesa de sua dissertação de mestrado, em 2014. A inspiração e a motivação do pesquisador brasileiro empurraram Chávez para o IMPA.

Matemática no sangue
Filho de um professor de Matemática, Carlos Andrés Chirre Chávez traz de casa o gosto pela disciplina. Foi o único dos quatro filhos a seguir a profissão do pai. Apesar da tradição do Peru em olimpíadas internacionais de Matemática, nunca foi entusiasta deste tipo de competição. Preferiu dedicar-se à matéria nos bancos escolares.
Formado em Matemática pela Universidad Nacional de Ingeniería (UNI), de Lima (Peru), fez mestrado no país, no Instituto de Matemáticas y Ciencias Afines (IMCA). No IMPA, voltou-se à Teoria Analítica dos Números e Análise Harmônica.
Logo que decidiu com o orientador o primeiro problema da tese percebeu que teria de correr contra o tempo, pois um pesquisador no Japão pretendia se debruçar sobre o mesmo tema. A opção de deixar o assunto de lado nem foi cogitada.

Riemann
O papel de Emanuel Carneiro foi crucial para o sucesso de Chávez. “Emanuel é muito legal, uma pessoa sensacional, um excelente profissional. Passamos muito tempo trabalhando juntos. Corremos contra o tempo e batemos o japonês. Deu certo”, diz o estudante.
Na tese, o doutorando estabelece novos limites para objetos relacionados à função zeta de Riemann. À primeira vista pode não parecer muito inovador, mas ele conseguiu melhorar algumas constantes da literatura da função zeta. 
“Faz tempo que certas constantes não são melhoradas. Usando técnicas novas conseguimos melhorar estas estimativas. Isso é o mais importante no meu trabalho”, comemora Chávez.
Para ele, existe beleza nesses resultados, justamente porque joga luz a um assunto intrigante da Matemática: os números primos. 
“A função zeta tem a ver com os números primos. Se você tem informação sobre a função zeta, explicitamente tem informações sobre os primos. Gostei muito de trabalhar com isso.”
Após defender a tese, Chávez voltará a Lima com a missão de levar ao Peru parte da experiência adquirida no IMPA. Em setembro, irá à Noruega, para o pós-doutorado na Norwegian University of Science and Technology (NTNU), onde trabalhará com o matemático Kristian Seip. 
Não é para caminhar pela trilha dourada batendo calcanhares, como Dorothy? Afinal, não há lugar como aquele em que podemos nos aperfeiçoar!

SERVIÇO:

Defesa de tese de Carlos Andrés Chirre Chávez 
“Cotas para a função zeta de Riemann via análise de Fourier”
Data: 7 de fevereiro | Horário: 15h30 | Local: sala 232
Transmissão ao vivo: youtube.com/impa.br

Leia também: Jacob Palis conquista o Spirit of Abdus Salam Award 2019
Mulher semilendária, Hipátia foi a primeira matemática
IMPA abre vaga em Matemática Aplicada