Navegar

Brasil terá 5ª maior delegação no ICM do Rio de Janeiro

Na abertura do primeiro Congresso Internacional de Matemáticos (ICM, sigla em inglês), em 9 de agosto de 1897, o holandês Adolf Hurwitz afirmou: “Poder expressar-se e se comunicar com os seus colegas é vital para todo matemático. E cada um de nós sabe por experiência pessoal como o relacionamento científico direto pode ser estimulante.” Hoje, estas afirmações são mais válidas do que nunca.

Não foi sempre assim. Até o século 19, havia muito poucos matemáticos –poucos cientistas em geral– e eles trabalhavam isoladamente e, muitas vezes, em segredo. Isaac Newton descobriu o cálculo matemático em 1671, mas reservou essa poderosa ferramenta para si mesmo, sem ter de enfrentar a concorrência. Assim, esse trabalho (Methodus fluxionum et serierum infinitarum) só foi publicado em 1736, após a sua morte.

Mas o mundo mudou. A Revolução Francesa de 1789 pôs em marcha uma profunda reestruturação social, na Europa e além, com a emergência de uma classe média cada vez mais interessada na aquisição e utilização do conhecimento. Ao mesmo tempo, a Revolução Industrial britânica ampliou enormemente o papel da ciência e da tecnologia como motores do desenvolvimento.

Junto, veio uma importante mudança do papel das universidades: de meras instituições de ensino a centros de produção e transmissão de conhecimento. Professores universitários tornaram-se também pesquisadores, aumentando em muito o número de cientistas. Sociedades matemáticas nacionais proliferaram nos países mais desenvolvidos: Rússia em 1864, Reino Unido em 1865, França em 1872, Itália em 1884, Estados Unidos em 1888 e Alemanha em 1890.

O longo período de paz na Europa que se seguiu às guerras napoleônicas, e os avanços tecnológicos nos transportes (linhas férreas, indústria naval) e nas comunicações (telégrafo, telefone, rádio), também contribuíram para aproximar pessoas e povos. Assim, ao final do século 19 surgiam apelos à cooperação internacional entre matemáticos.

Veja AQUI a lista completa dos palestrantes do ICM.

 

Para ler na íntegra acesse o site do jornal: 

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marceloviana/2017/06/1895242-com-5-maior-delegacao-em-congresso-matematico-brasil-ganha-destaque.shtml

A Folha permite que cada leitor tenha acesso a dez textos por mês mesmo sem ser assinante.