Navegar

Teriam 'as agulhas de Buffon' realmente existido?

Considerado o marco inicial da Teoria da Probabilidade Geométrica, o problema da Agulha de Buffon – proposto por Georges-Louis Leclerc, o Conde de Buffon (1707-1788) – permite obter aproximações do valor de pi (3,1415…) por meio de experiências físicas simples e aleatórias. Mas uma revisão histórica recente põe em xeque se esse famoso experimento realmente existiu.

O problema é uma das primeiras utilizações do método estatístico de “Monte Carlo”, que se baseia em amostragens aleatórias massivas para obter resultados numéricos. A intenção é descobrir qual a probabilidade de que agulhas lançadas em um plano marcado por linhas paralelas toquem em uma dessas linhas. Surpreendentemente, o resultado encontrado é diretamente relacionado ao valor de pi, que é a proporção numérica definida pela relação entre o perímetro de uma circunferência e seu diâmetro.

Em 2013, quando membros da Sociedade Europeia de Matemática quiseram, para fins de divulgação científica, refazer a experiência que teria sido realizada em 1777, acabaram se deparando com um  grande problema: não havia registros históricos que  tal fato ocorrera. 

Os matemáticos Ehrhard Behrends e Jorge Buescu escreveram, então, um artigo no Boletim da Sociedade Portuguesa de Matemática, em 2014, no qual fazem uma revisão histórica sobre o assunto e concluem que Buffon formulou e resolveu matematicamente o problema da agulha, mas acreditam que o famoso experimento possivelmente ficou apenas no papel.