Navegar

A raridade de seus avós

Existe um ramo da Biologia voltado especificamente para estudar a evolução humana em conjunção com a Matemática. A Biomatemática permite testar suposições dos cientistas de forma rápida e sem interferência de outras variáveis. De reprodução celular até evolução da espécie, muitos aspectos da Biologia são passíveis de serem analisados biomatematicamente. Até sua avó.

O que você pode não ter imaginado é que esses membros tão tradicionais, adorados e ativos na criação dos netos são raros na natureza, segundo pesquisa do zoólogo e professor de Biomatemática da Universidade de Oxford, Michael Bonsall. Apenas elefantes, algumas espécies de baleias e alguns primatas possuem estruturas familiares parecidas, com avós e avôs presentes na educação das gerações mais novas. Entretanto, no âmbito da evolução, deve haver algum tipo de benefício para esses avôs e avós fazerem isso.

Em entrevista ao blog de ciências de Oxford, o pesquisador comentou que desenvolveu uma fórmula que testa as benesses e as desvantagens desse formato de família comparado com outros, como o parental e o cooperativo. “A linguagem e as técnicas matemáticas nos permitem determinar se nossas suposições vão funcionar com experimentos ou com observação empírica”.

A pesquisa de Bonsall sugere que uma interseção entre a ecologia e a filogenia (estudo da relação evolutiva entre grupos de organismos) pode ter tido papel na formação de estrutura familiar tão incomum. “Apesar de raro, os avós têm papel importante, criando laços mais fortes. Em relação às outras estruturas, possibilita um futuro reprodutivo de sucesso para ao menos duas gerações, criando assim um fundo genético mais forte”.

Para saber mais

Evolutionary stability and the rarity of grandmothering

Grandmothering and natural selection