Navegar

5 de December de 2018, 14:24h

Biênio aproximou mais a sociedade e a Matemática

Marcelo Viana, Alex Canziani e Lucimar Gusmão na Comissão de Educação da Câmara

 

O Biênio da Matemática chega ao fim com legados almejados, concretizados por meio dos eventos organizados em 21 estados do país, segundo o diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana, em palestra nesta quarta-feira (5), na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. As atividades de ensino, lúdicas e artísticas realizadas para os mais diversos públicos ao longo dos dois últimos anos popularizaram e desmistificaram a disciplina, incentivando o raciocínio lógico e abstrato.

Ao iniciar a sua apresentação na reunião, promovida pela comissão e pela Frente Parlamentar Mista da Educação, presidida pelo deputado Alex Canziani (PTB-PR), Viana destacou os dados sobre os eventos cadastrados do site do Biênio da Matemática, informação que revela a amplitude do movimento, abraçado por instituições públicas e privadas em todo o país.

Leia também: IMPA abre vaga em Matemática Aplicada
Com a OBMEP, trimedalhista de Minas tornou-se autoconfiante
Modelo matemático explica padrão na pele de tubarões

“Um orgulho termos registrado 175 eventos, mas tenho que dizer que esse número está aquém da realidade. Como vimos, só o Festival da Matemática, no Paraná, registrado como um único evento, teve uma abrangência muito maior do que o número poderia indicar”, observou ao diretor-geral do IMPA.

Segundo ele, um dos legados do Biênio, instituído por lei pelo Congresso Nacional, foi ter aproximado mais a Matemática da sociedade e da imprensa.

“Os meios de comunicação se aproximaram. Existia certo receio de tocar em um assunto que não dominavam. Isso começou a mudar, a ponto de um dia receber um telefonema da TV Globo”, relatou Viana, referindo-se à série do Jornal Nacional sobre Matemática. “Ficamos surpresos. Quase 30 minutos de TV, em horário nobre, dedicado à Matemática. Quem imaginaria uma barbaridade dessas tempos atrás”, brincou Viana.

Durante sua palestra, o diretor-geral do IMPA frisou momentos importantes do Biênio, como a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) de 2017 – que, por sugestão do IMPA, abordou o tema “A Matemática está em Tudo”; o Festival da Matemática, acompanhado por 18 mil pessoas de todas as idades, durante quatro dias, no Rio; e Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018), o mais importante encontro mundial da área, que reuniu cerca de 3 mil pesquisadores e, no total, 10 mil pessoas, em agosto, no Riocentro.

“Tivemos a alegria de ver todos os agentes envolvidos na semana. Universidades, centros de pesquisa pensando com carinho como as suas próprias atividades tinham a ver com a matemática, colocando o tema na pauta nacional. Isso muito nos honrou e nos satisfez”, observou Viana, integrante da Comissão de Honra do Biênio, sobre a SNCT.

Sobre a OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas), evento de destaque do calendário anual do IMPA desde 2005, Viana citou duas importantes mudanças ocorridas durante o Biênio: a inclusão das escolas particulares em 2017, por sugestão Canziani, e a ampliação da competição para alunos dos 4ºe 5º anos do Ensino Fundamental, ocorrida este ano. Segundo Viana, a participação de 1,5 milhão de alunos na nova modalidade da OBMEP, lançada em setembro, mostra o enorme sucesso da iniciativa.

Na edição tradicional, do 6º ano do Ensino Fundamental ao último ano do Ensino Médio, a OBMEP reuniu 18,2 milhões de estudantes, de 99,44% dos municípios. “Isso é conseguido a um custo surpreendente, de R$ 1,80 por aluno participante. São números impressionantes daquilo que é possível realizar quando a gente conta com uma equipe competente”, frisou o matemático.

Segundo Viana, o ponto alto da abertura do ICM 2018 foi, para parte dos participantes estrangeiros do evento, a presença dos 575 medalhistas de ouro da OBMEP. “Foi a primeira vez em que alguém pensou em levar crianças da Educação Básica para ver a entrega da Medalha Fields (o mais importante prêmio da área). Assistiram no mesmo local onde, mais adiante, receberiam as suas próprias medalhas da OBMEP”, relatou o diretor-geral do IMPA, que agradeceu ao Congresso e demais parceiros a acolhida ao Biênio. “Considero que alcançamos os nossos objetivos”, disse, concluindo a sua apresentação com um vídeo de divulgação.

Mais trabalho em 2019: Festival da Matemática e ampliação da OBMEP

Autor do projeto de lei que criou o Biênio da Matemática, em conjunto com os deputados Pedro Fernandes (PTB-MA) e Wilson Filho (PTB-PB), também presente à reunião, Canziani abriu a última reunião da atual gestão da Comissão de Educação ressaltando “a grande movimentação da Matemática, no Brasil inteiro”, surgida com o Biênio. Segundo ele, há impactos palpáveis, como a melhora no desempenho do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) de Londrina (PR). “Grande satisfação em ver os resultados desse trabalho”.

Durante o encontro, Lucimar Donizete Gusmão, doutora em Educação para a Ciência e para a Matemática, falou sobre a participação do Paraná no Biênio e exibiu um vídeo com as atividades realizadas no Estado. Só o Festival da Matemática local mobilizou aproximadamente um milhão de alunos. “As atividades matemáticas que desenvolvemos tinha caráter lúdico, mas sem perder o conhecimento matemático”.

Ao fim do encontro, Canziani quis saber sobre perspectivas para a Matemática. Lucimar e Viana avaliaram a necessidade de investir na formação do professor, fundamental para a melhoria do ensino de Matemática, assim como nas demais áreas do conhecimento.

“A solução das nossas dificuldades na Educação passa, primeiro, pela formação do professor”, declarou Viana, que ao saber sobre o  reconhecimento recente da Unidade Escolar Augustinho Brandão, instituição pública de Cocal dos Alves (PI) no Prêmio Darcy Ribeiro 2018, noticiado por Canziani, aproveitou para citar um dos casos de sucesso da OBMEP como um exemplo a ser seguido.

“O trabalho feito lá é um modelo viável para o país todo. O professor Antônio Amaral, sempre que é questionado sobre a qual é a mágica para conseguir todo ano uma enorme quantidade de medalhistas na OBMEP num município dos mais pobres do país, diz que não tem segredo. Mostra que não devemos buscar a solução dos nossos problemas num passe de mágica, mas sim fazer um trabalho sério”, contou Viana, dizendo que a autoestima do professor e do aluno é absolutamente fundamental. “Não podemos subestimar o quanto as pessoas são capazes de fazer, inclusive com recursos limitados, quando o trabalho é valorizado. Isso é uma das coisas que a OBMEP faz há muito tempo”, concluiu.

Apesar dos importantes resultados alcançados com o Biênio da Matemática, Viana destacou que este é um trabalho “que não acaba nunca”. Por isso, o IMPA já está a pleno vapor, com a organização de mais uma edição do Festival de Matemática, em 2019, e atento à realização de um sonho: ter toda a Educação Básica na OBMEP.

“Evidentemente, estamos conscientes dos desafios que isso envolve. Como se faz uma Olimpíada de Matemática para crianças que ainda estão sendo alfabetizadas. Mas isso é possível. Outro legado. Prova de que não estamos acomodados em cima dos louros do Biênio. Pelo contrário: arrumamos mais problemas para resolver.”

Leia também: No Instagram, os múltiplos sentidos da Matemática
Sotheby’s faz leilão de relíquias da Matemática mundial
IMPA é bicampeão no Prêmio Jatobá de Comunicação