Navegar

31 de October de 2018, 16:28h

Algoritmo ajuda na criação de contos de terror no Halloween

 

“Um, dois, Freddy está vindo pegar para você!/ Três, quatro, melhor trancar a porta!/Cinco, seis, agarre seu crucifixo!/Sete, oito, melhor ficar acordado até tarde!/Nove, dez, você nunca mais vai dormir outra vez!”

Se esta musiquinha do vilão Freddye Krugger já te assustou algum dia, prepare-se para pesadelos ainda maiores neste Dia das Bruxas. Afinal, em vez de doces e travessuras, o Laboratório de Mídia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) preferiu produzir algo diferente para comemorar o Halloween.

Leia também: Olimpíada de matemática abre as portas aos pequenos
1,5 milhão de alunos disputam Olimpíada de Matemática
IMPA e Itaú Social ampliam parceria para formar professor

A equipe desenvolveu um sistema de inteligência artificial capaz de escrever suas próprias histórias de terror. Denominado Shelley, o algoritmo trabalha em colaboração com seres humanos para criar contos assustadores.

Funciona mais ou menos assim: de hora em hora, o algoritmo é alimentado com trechos de textos coletados no Twitter (@shelley_ai). Shelley “amarra” as palavras para formar interessantes – e horripilantes – contos de terror. Cada história ganha um título e o pontapé inicial, ou seja, o mote é dado pela I.A. que tuíta o início do texto. Graças à criatividade dos internautas, as histórias se desenvolvem e produzem contos de arrepiar.

Veja o trecho de um conto, intitulado #O bebê:

 “… Olho para o bebê e então, pela primeira vez, percebo: O bebê… era eu! ‘Eu! Eu! Eu!’ Gritei a plenos pulmões. Me virei e vi um rosto indo e voltando na babá eletrônica. Seus olhos derretiam, seu rosto se contorcia – abrindo-se para revelar uma cena de pesadelo. Encarei, paralisado, mas a imagem tremeluziu.  Nem mesmo um momento depois, a câmera desligou.  Apertei o botão, mas nada aconteceu. Olho em volta. No canto vejo algo que causa arrepios na espinha…”

Uma jovem contadora de histórias

A Inteligência Artificial Shelley foi criada em 2017 pelo Laboratório de Mídia do MIT e, desde então, virou tradição vê-la produzir textos de terror nas vésperas do Dia das Bruxas. Apesar de “jovem”, Shelley se inspira em grandes nomes da literatura do terror, como Mary Shelley, John William Polidori e Lord Byron, só para citar alguns.

Os primeiros passos de Shelley foram em uma rede social muito famosa nos Estados Unidos, o Reddit. O algoritmo foi programado para ler durante meses textos de terror publicados pelos os usuários na plataforma. Com know-how sobre o tema, Shelley partiu para a carreira solo e há dois anos cria textos colaborativos com seus fãs no Halloween.

Mas essa mocinha escritora é um desdobramento de um projeto anterior do Laboratório de Mídia do MIT, o Nightmare Machine (“Máquina de Pesadelos”, em tradução livre). O projeto de 2016 era responsável por gerar imagens assustadoras com ajuda da inteligência artificial e de algoritmos. Mais de dois milhões de pessoas de todo o mundo votaram para escolher a imagem mais terrível.

Leia também: Fátima Bernardes mostra mulheres destacadas na Ciência
Programas temáticos podem receber até R$ 200 mil
IMPA abre concurso para contratar pesquisador